Histerectomia e as doenças ginecológicas benignas: o que está sendo praticado na Residência Médica no Brasil?

Histerectomia e as doenças ginecológicas benignas: o que está sendo praticado na Residência Médica no Brasil?

Título alternativo Hysterectomy and benign gynecological diseases: what has been performed in Medical Residency in Brazil?
Autor Sória, Helena Lúcia Zydan Google Scholar
Fagundes, Djalma José Autor UNIFESP Google Scholar
Sória-vieira, Sérgio Google Scholar
Cavalli, Namir Google Scholar
Santos, Cássia Regina Cruz Dos Google Scholar
Instituição Universidade Estadual do Oeste do Paraná Faculdade de Medicina Departamento de Ginecologia e Obstetrícia
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade Paranaense Faculdade de Nutrição
Universidade Paranaense Faculdade de Enfermagem
Resumo PURPOSE: to evaluate the teaching and the practice of hysterectomy in the Brazilian regions and to compare them with data of international literature. METHODS: questionnaires about nine issues on benign hysterectomy indications, surgical procedures, use of antibiotic prophylaxis, suture of the vaginal vault and complications were sent to the 132 Gynecological and Obstetrics Residency Services of Brazil, registered by the Ministry of the Education and Culture in 2003. Data were computed and statically analyzed, with the use of the Friedman's, Kruskal-Wallis's and chi2 tests, according to the characteristics of the variables. RESULTS: 48.5% of the questionnaires were answered or justified when there were no answers, mainly in the Southeastern region (62%). The main surgical hysterectomy procedure was the abdominal, varying from 60 to 100% (p<0.001), followed by the vaginal (10 to 40%) and the laparoscopy (6%). In 94% of the cases, laparoscopy was not employed. The main indication for hysterectomy was myomatosis (60.4%; p<0.001), followed by adenomiosis (8.3%) and abnormal uterine bleeding (7.5%). First generation cephalosporin was used for antibiotic prophylaxis in 94% of the cases. There was no significant statistical difference among the threads (simple Catgut®, chrome Catgut® or Vicryl®) used for the suture of the vaginal vault and the development of granuloma in this region, which was the main complication of the procedure (p=0,002). CONCLUSIONS: the surgical procedures, the hysterectomy indications, the threads used to suture the vaginal vault and the complications were similar in the different regions of Brazil and they agreed with the evidence reported in the international literature.

OBJETIVO: avaliar o ensino e a prática da histerectomia no Brasil nas diferentes regiões do país e compará-las com dados da literatura mundial. MÉTODOS: foram enviados questionários aos 132 Serviços de Residência Médica de Ginecologia e Obstetrícia do Brasil cadastrados pelo Ministério da Educação e Cultura em 2003. O mesmo continha nove questões sobre indicações em casos de doenças benignas, procedimentos operatórios, uso de antibioticoprofilaxia, fios para sutura da cúpula vaginal e complicações. Para a análise dos resultados, foram aplicados os testes de Friedman, Kruskal-Wallis e chi2, conforme a natureza das variáveis. RESULTADOS: nos 48,5% de questionários respondidos ou justificados (não-respostas), houve predomínio da região Sudeste (62%). A via operatória preferencial foi a abdominal, variando de 60 a 100% em média (p<0,001), seguida da via vaginal (10-40%) e da vídeo-assistida (6%). Em 94% dos Serviços, a via vídeo-assistida foi referida como não-empregada. A principal indicação de histerectomia foi a miomatose (60,4%; p<0,001), seguida de adenomiose (8,3%) e sangramento uterino anormal (7,5%). Quanto à antibioticoprofilaxia sistêmica, 94% dos Serviços utilizaram cefalosporina de primeira geração. Não houve diferença estatisticamente significante entre o emprego do fio de sutura no fechamento da cúpula vaginal (catgut® simples, catgut® cromado ou Vicryl®) e a formação de granuloma neste local. A principal complicação foi o granuloma de cúpula vaginal (p=0,002). CONCLUSÕES: as vias operatórias, as indicações, a antibioticoprofilaxia, os fios utilizados para a sutura da cúpula vaginal e as complicações das histerectomias foram similares nas diversas regiões do país e estão em consonância com a literatura mundial.
Palavra-chave Hysterectomy
Hospital, teaching
Genital diseases, female
Gynecologic surgical procedures
Histerectomia
Hospital de ensino
Doenças dos genitais femininos
Procedimentos cirúrgicos em ginecologia
Idioma Português
Data de publicação 2007-02-01
Publicado em Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia, v. 29, n. 2, p. 67-73, 2007.
ISSN 0100-7203 (Sherpa/Romeo)
Publicador Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Extensão 67-73
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032007000200002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0100-72032007000200002 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3545

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0100-72032007000200002.pdf
Tamanho: 121.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta