Correlação entre os resultados laboratoriais e os sinais e sintomas clínicos das pacientes com candidíase vulvovaginal e relevância dos parceiros sexuais na manutenção da infecção em São Paulo, Brasil

Correlação entre os resultados laboratoriais e os sinais e sintomas clínicos das pacientes com candidíase vulvovaginal e relevância dos parceiros sexuais na manutenção da infecção em São Paulo, Brasil

Título alternativo Relationship of laboratory results with clinical signs and symptoms of patients with vulvovaginal candidiasis and the significance of the sexual partners for the maintenance of the infection
Autor Boatto, Humberto Fabio Google Scholar
Moraes, Maria Sayonara de Google Scholar
Machado, Alexandre Paulo Autor UNIFESP Google Scholar
Girão, Manoel João Batista Castello Autor UNIFESP Google Scholar
Fischman, Olga Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Unidade Básica de Saúde CS-II
Universidade Federal do Mato Grosso
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: to relate yeasts identified by laboratory tests to clinical signs and symptoms in patients with vulvovaginal candidiasis, and to investigate the importance of the sexual partners in the recurrence of the infection. METHODS: from July 2001 to July 2003, a sample of 179 patients aged from 18 to 65 years old, with clinical suspicion of fungal vaginitis were analyzed in a prospective study in Great São Paulo. Exclusion criteria included: pregnancy, impaired intrinsic or extrinsic immune response (including Aids), diabetes or immunosuppression; patients undergoing corticosteroid, antibiotic or hormone therapy, in post menopause, with intrauterine device (IUD) or making use of vaginal douches or spemicides. Samples of vaginal and penis secretions from partners of patients with relapse of vaginitis episodes were collected for microscopy and fungal culture. Fungal colonies isolated in CHROMagar Candida were identified by classical methods. Fisher's exact t-test was used to correlate the clinical picture with the yeasts isolated from patients. RESULTS: the most relevant clinical signs and symptoms were pruritus and vaginal discharge followed by erythema and edema, statistically independent from the etiological agent. Direct microscopy revealed yeasts in 77 patients with vulvovaginitis, and 40 Candida spp cultures were obtained. Candida albicans (70%), C. glabrata (20%), C. tropicalis (7,5%) and C. guilliermondii (2,5%) were identified. The yeasts prevalent in partners were C. albicans and C. glabrata. The same species were detected in female and male sex partners in 87% of the cases. CONCLUSIONS: fungal vulvovaginitis was more frequent in women between 18 and 34 years old. No correlation was observed between the species of yeast detected and clinical symptomatology. Sexual partners are important Candida spp reservoirs and may be related to the maintenance of the vulvovaginal candidiasis.

OBJETIVO: relacionar as leveduras identificadas aos sinais e sintomas clínicos das pacientes com candidíase vulvovaginal e investigar a importância dos parceiros sexuais na reincidência da infecção. MÉTODOS: foi desenvolvido estudo prospectivo de julho de 2001 a julho de 2003 com uma amostra de mulheres residentes na Grande São Paulo. Foram avaliadas 179 pacientes com suspeita clínica de vaginite fúngica, com idade entre 18 e 65 anos. Os critérios para exclusão foram: gravidez, comprometimento imunológico intrínseco e extrínseco, incluindo AIDS, diabetes, imunossupressão, pacientes em terapia com corticosteróides, antibióticos ou hormônios, em pós-menopausa, em uso de dispositivo intra-uterino e duchas vaginais ou espermicidas. Amostras de secreções vaginais ou da glande dos parceiros sexuais de pacientes com vaginite de repetição foram coletadas para microscopia e cultura de fungos. Colônias fúngicas isoladas em CHROMagar Candida foram identificadas por provas clássicas. O teste exato de Fisher foi usado para correlacionar o quadro clínico com as leveduras isoladas das pacientes. RESULTADOS: os sinais e sintomas clínicos mais relevantes na candidíase vulvovaginal foram prurido e corrimento, seguidos por eritema e edema, estatisticamente independente do agente etiológico. Leveduras foram diagnosticadas por microscopia direta em 77 pacientes com vulvovaginites, sendo obtidos 40 cultivos de Candida spp. Candida albicans (70%), C. glabrata (20%), C. tropicalis (7,5%) e C. guilliermondii (2,5%) foram identificadas. As leveduras prevalentes nos parceiros foram C. albicans e C. glabrata. As mesmas espécies foram detectadas nas companheiras e parceiros em 87% dos casos. CONCLUSÕES: as vulvovaginites fúngicas foram mais freqüentes em mulheres entre 18 e 34 anos de idade. Não foi observada correlação entre as espécies de leveduras detectadas e a sintomatologia clínica. Os parceiros sexuais podem ser importantes reservatórios de Candida spp e estar relacionados à manutenção da candidíase vulvovaginal.
Palavra-chave Candidiasis, vulvovaginal
Candida albicans
Laboratory techniques and procedures
Sexual partners
Signs and symptoms
Candidíase vulvovaginal
Candida albicans
Técnicas e procedimentos de laboratório
Parceiros sexuais
Sinais e sintomas
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Data de publicação 2007-02-01
Publicado em Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia, v. 29, n. 2, p. 80-84, 2007.
ISSN 0100-7203 (Sherpa/Romeo)
Publicador Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Extensão 80-84
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032007000200004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0100-72032007000200004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3495

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0100-72032007000200004.pdf
Tamanho: 102.5KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta