Mother-to-child transmission of HIV in Brazil during the years 2000 and 2001: results of a multi-centric study

Mother-to-child transmission of HIV in Brazil during the years 2000 and 2001: results of a multi-centric study

Título alternativo Transmissão vertical do HIV no Brasil em 2000 e 2001: resultados de um estudo multicêntrico
Autor Succi, Regina Célia de Menezes Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Sociedade Brasileira de Pediatria Departamento de Infectologia
Resumo The objective of this study was to assess mother-to-child transmission rates of HIV in Brazil during the years 2000 and 2001, and to identify the maternal and neonatal variables that were associated with this transmission. It was a cross-sectional, observational study with retrospective data obtained from patient medical records. The children were followed at 63 medical sites situated in five geographical macro-regions of the country (20 States and the Federal Capital). Children enrolled were those that were born of HIV-infected mothers and it was necessary for the mothers to present documented proof of HIV-infection before or during pregnancy, at time of delivery or in the first three months after delivery. There were 2,924 children enrolled and mother-to-child transmission rates of HIV were 8.6% (95%CI: 7.2-10.2) for the year 2000 and 7.1% (95%CI: 5.8-8.6) for the year 2001. The following variables were associated with lower mother-to-child transmission rates of HIV: elective cesarean section, diagnosis of mother's infection before or during pregnancy, access to HIV viral load and T CD4+ lymphocyte count during prenatal care, greater birth weight and avoidance of breastfeeding.

O objetivo do estudo foi descrever as taxas de transmissão vertical do HIV no Brasil nos anos de 2000 e 2001, e identificar as variáveis maternas e dos recém-nascidos associadas à transmissão. O estudo foi transversal, observacional, com dados retrospectivos obtidos por meio da análise de prontuários médicos em 63 serviços localizados nas cinco macrorregiões geográficas do país (vinte estados e o Distrito Federal). Foram consideradas, para o estudo, crianças nascidas de mães infectadas pelo HIV que apresentaram documentação da infecção pelo vírus antes ou durante a gestação, no momento da admissão para o parto ou nos três primeiros meses após o parto. Foram incluídas 2.924 crianças e a taxa de transmissão vertical do HIV foi: 8,6% em 2000 (IC95%: 7,2-10,2) e 7,1% em 2001 (IC95%: 5,8-8,6). As seguintes variáveis foram associadas com a transmissão vertical do HIV: parto cesárea eletiva, diagnóstico da infecção materna antes ou durante a gestação, acesso a exames de quantificação da carga viral do HIV e contagem de linfócitos-T CD4+ durante a gestação, peso ao nascimento e ausência de aleitamento materno.
Palavra-chave Vertical Disease Transmission
HIV
Prenatal Care
Transmissão Vertical de Doença
HIV
Cuidado Pré-Natal
Idioma Inglês
Data de publicação 2007-01-01
Publicado em Cadernos de Saúde Pública. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, v. 23, p. S379-S389, 2007.
ISSN 0102-311X (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Extensão S379-S389
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2007001500006
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000253807300006
SciELO S0102-311X2007001500006 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3483

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-311X2007001500006.pdf
Tamanho: 107.5KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta