Reforma Sanitária e saúde do trabalhador

Reforma Sanitária e saúde do trabalhador

Autor Lacaz, Francisco Antonio de Castro Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
SES-SP Divisão do Centro de Vigilância Sanitária
Resumo Contemporânea do Movimento Sanitário brasileiro, a luta dos trabalhadores pela melhoria das condições e defesa da saúde no trabalho, não tem sido motivo de preocupação dos estudiosos da Reforma Sanitária. Por tratar-se de uma ação que envolve importantes categorias do movimento sindical e que aproximou setores intelectuais, técnicos, lideranças sindicais e trabalhadores, inspirada em influências do Modelo Operário Italiano que teve real importância na luta pela Reforma Sanitária naquele país, procura-se, neste ensaio, discutir criticamente a ausência da análise desta questão dentro da Reforma Sanitária, atentando para sua importância no que se refere à ampliação das suas bases sociais na medida em que, ao introduzir o elemento dos atores sociais, isto pode permitir pensar a superação de um certo esgotamento que hoje se aponta com respeito ao movimento pela Reforma Sanitária no Brasil.
Idioma Português
Data de publicação 1994-07-01
Publicado em Saúde e Sociedade. Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.Associação Paulista de Saúde Pública., v. 3, n. 1, p. 41-59, 1994.
ISSN 0104-1290 (Sherpa/Romeo)
Publicador Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.Associação Paulista de Saúde Pública.
Extensão 41-59
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12901994000100005
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0104-12901994000100005 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/347

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0104-12901994000100005.pdf
Tamanho: 1.593MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta