Avaliação dos resultados tardios da operação de derivação cavo-pulmonar bidirecional, no tratamento paliativo de cardiopatias congênitas com câmara ventricular única

Avaliação dos resultados tardios da operação de derivação cavo-pulmonar bidirecional, no tratamento paliativo de cardiopatias congênitas com câmara ventricular única

Título alternativo Assessment of late results of bidirecional cavopulmonary shunt on paliative treatment of congenital heart disease with functional isolated ventricular chamber
Autor Maluf, Miguel Angel Autor UNIFESP Google Scholar
Andrade, José Carlos S Autor UNIFESP Google Scholar
Catani, Roberto Autor UNIFESP Google Scholar
Carvalho, Antonio Carlos Autor UNIFESP Google Scholar
Negrini, Nilce Autor UNIFESP Google Scholar
Buffolo, Enio Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo From March 1990 to January 1994, 17 patients 1 to 13 years old (mean 7 years), who had congenital heart disease with functional isolated ventricular chamber, were submitted to bidirectional cavopulmonary shunts. Nine cases had Tricuspid Atresia (TA) (7 type Ib, 1 type Ic and 1 type IIb). Five cases had Double Inlet Right ventricle (Dl RV); two cases had multiple Ventricular Septal Defects (VSD) plus RV hypoplasia. One case had pulmonary atresia with Intact Ventricular septum (PA/IVS). Nine (52,9%) patients had been submitted, to previous paliative operations. The operations in 12 (70,5%) cases were with extracorporeal circulation (ECC) and in 5 (29,4%) cases with superior vena cava (SVC) to right atrio (RA) temporary shunt. In all cases the SVC was anastomosed to right pulmonary artery (RPA) closing the pulmonary valve (PV) or linking the Blalock-Taussig shunt to interrupt the pulmonary flow. There are three (17,6%) deaths in the immediate postoperative period and 2 (14,2%) late deaths. Twelve (70,5%) patients were followed-up for 2 to 46 months. One patient was submitted to the 2 nd operation, tunnelating the inferior vena cava (IVC) to RPA, with success. The assessment of bidirectional cavopulmonary flow was made with Doppler echocardiography and magnetic resonance and the pulmonary perfusion was made with radioisotopic cintilography. The indication tor the 2 nd, operation depended on the clinical evolution and assessment of arterial saturation during the cicloergometric test. The bidirectional cavo pulmonary shunt allows the progressive adaptation of the venous flow to lung and reduced ventricular volume load, preparing the patient to total venous shunt.

No período de março de 1990 a janeiro de 1994, 17 pacientes com idades de 1 a 13 anos (média: 7 anos), portadores de cardiopatias congênitas com câmara ventricular única funcionante, foram submetidos a operação de derivação cavo-pulmonar bidirecional. Nove pacientes tinham atresia tricúspide (AT), 7 do tipo lb, 1 tipo le e 1 tipo Mb. Cinco pacientes tinham dupla via de entrada ventricular tipo ventrículo direito (DVEVD); 2 com comunicação interventricular(CIV) múltipla+hipoplasiado VD; 1 com atresia pulmonar com septo interventricular íntegro (APc/SIVI). Nove (52,9%) pacientes tinham operações paliativas prévias. A operação foi realizada com auxílio da circulação extracorpórea (CEC) em 12 (70,5%) casos e mediante derivação do fluxo sangüíneo da veia cava superior (VCS) para o átrio direito (AD) em 5 (29,5%) casos. Em todos os casos a VCS foi anastomosada à artéria pulmonar direita (APD), interrompendo o fluxo sangüíneo para o pulmão, fechando a valva pulmonar e ligando a derivação de Blalock-Taussig pérvio. Houve 3 (17,6%) óbitos no pós-operatório imediato (POI) e 2 (14,2%) no pós-operatório tardio (POT). Doze (70,5%) pacientes estão em acompanhamento clínico, com um tempo de evolução de 2 a 46 meses. Um paciente foi submetido ao 2º tempo da operação, tunelizando a veia cava inferior (VCI) para a APD, com sucesso. A avaliação do fluxo da derivação cavo-pulmonar bidirecional está sendo realizada pela ecodopplercardiografia e ressonância nuclear magnética e a perfusão pulmonar mediante cintilografia radioisotópica. A indicação do 2º tempo da operação obedece à própria evolução clínica e avaliação da saturação arterial durante a cicioergometria. A derivação cavo-pulmonar bidirecional permite uma adaptação progressiva do fluxo venoso para o pulmão, diminuindo a sobrecarga de volume do ventrículo, preparando o paciente para a derivação venosa total.
Palavra-chave cavopulmonary shunt
derivação cavo-pulmonar
Idioma Português
Data de publicação 1994-06-01
Publicado em Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, v. 9, n. 2, p. 95-103, 1994.
ISSN 0102-7638 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Extensão 95-103
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-76381994000200004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-76381994000200004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/343

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-76381994000200004.pdf
Tamanho: 2.107MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta