Neuropsychological assessment and quality of life in patients with refractory temporal lobe epilepsy related to hippocampal sclerosis

Neuropsychological assessment and quality of life in patients with refractory temporal lobe epilepsy related to hippocampal sclerosis

Título alternativo Avaliação neuropsicológica e qualidade de vida em pacientes com epilepsia refratária do lobo temporal relacionada com esclerose hipocampal
Autor Mantoan, Marcele Araujo Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Silva, Tatiana Indelicato Da Autor UNIFESP Google Scholar
Alonso, Neide Barreira Autor UNIFESP Google Scholar
Noffs, Maria Helena Da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Marques, Carolina Mattos Autor UNIFESP Google Scholar
Rios, Leslie Bellido Autor UNIFESP Google Scholar
Azevedo, Auro Mauro Autor UNIFESP Google Scholar
Westphal-guitti, Ana Carolina Autor UNIFESP Google Scholar
Sakamoto, Américo Ceiki Autor UNIFESP Google Scholar
Yacubian, Elza Márcia Targas Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
University of São Paulo Ribeirão Preto School of Medicina Department of Neurology, Psychiatry and Psychology
Resumo INTRODUCTION: Epilepsy is a disorder that results in abnormal activity in a group of neurons that may have significant impact on the normal cognitive processes and behavior. Temporal lobe epilepsy (TLE) is the most frequent form of partial epilepsy in adults, and hippocampal sclerosis (HS) the most common neuropathologic finding in patients with medically refractory TLE. Patients with TLE often present cognitive difficulties that may be determined by the effects of epileptic discharges and side of the lesion. And its consequence is that patients have poor effects on quality of life (QOL). PURPOSE: We report the relationship between neuropsychological assessment and QOL under the hypotheses that patients with worst results in neuropsychological assessment have poorer QOL assessed by the QOLIE-31. RESULTS: Regarding seizure frequency, 23 (46%) had had 1-5, 20 (40%) 6-10 and 7 (14%) more than 10 seizures/month. In relation to seizure types, 5 (10%) had had auras, 37 (74%) complex partial seizures and 8 (16%) partial evolving to generalized tonic-clonic seizures (GTCS). Neuropsychological evaluation had a positive correlation with QOLIE-31 domains. QOL evaluations had the worst scores in QOLIE-31 were in Cognitive Function (45.0) and Social Function (46.0). The best was Overall QOL (62.0). CONCLUSION: People with epilepsy have great impact on their QOL not only because of daily seizures but because of the impact seizures cause in their cognitive functions. TLE is an example of how refractory epilepsy can exterminate any possibilities of work, study and live in a society that discriminates someone with epilepsy who also presents cognitive decline.

INTRODUÇÃO: Epilepsia é um distúrbio decorrente de atividade anormal de um grupo de neurônios, causando grande impacto no processo cognitivo e comportamental do indivíduo. A epilepsia do lobo temporal (ELT) é o tipo de epilepsia parcial mais comum e a esclerose hipocampal (EH) o substrato neuropatológico mais freqüentemente encontrado em pacientes com epilepsia refratária. Pessoas com ELT apresentam declínio cognitivo que pode ser determinado pela localização das descargas e da lesão. E, além disso, também apresentam limitação na qualidade de vida (QV) pelas crises diárias. OBJETIVO: Avaliar a relação entre a avaliação neuropsicológica e QV com a hipótese de que pacientes com piores resultados na primeira têm pior QV determinada pelo QOLIE-31. RESULTADOS: Quanto à freqüência de crises, 23 pacientes (46%) tiveram até 5 crises, 20 (40%) de 6 a 10 e 7 (14%) mais de 10 por mês. Quanto ao tipo de crises, 5 (10%) apresentaram apenas auras, 37 (74%) crises parciais complexas e 8 (16%) crises parciais complexas com generalização secundária. Os resultados da avaliação neuropsicológica tiveram correlação positiva com os domínios do QOLIE-31. Nos domínios Aspectos Sociais com testes de função executiva, Preocupação com as Crises e Qualidade de Vida Global com testes de memória verbal e Bem-estar Emocional com os testes utilizados para cálculo do QI. CONCLUSÃO: Pessoas com epilepsia têm grande impacto na QV não apenas pelas limitações causadas pelas crises diárias, mas também pelo que estas causam em suas funções cognitivas. ELT é um exemplo de como uma epilepsia refratária pode acabar com qualquer possibilidade dessas pessoas procurarem um emprego, estudarem e viverem em uma sociedade que as discrimina pelo fato de ter epilepsia e um declínio cognitivo comprovado.
Palavra-chave temporal lobe epilepsy
neuropsychology
quality of life
cognitive decline
epilepsia do lobo temporal
neuropsicologia
qualidade de vida
processo cognitivo
Idioma Inglês
Data de publicação 2006-12-01
Publicado em Journal of Epilepsy and Clinical Neurophysiology. Liga Brasileira de Epilepsia (LBE), v. 12, n. 4, p. 201-206, 2006.
ISSN 1676-2649 (Sherpa/Romeo)
Publicador Liga Brasileira de Epilepsia (LBE)
Extensão 201-206
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1676-26492006000700004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1676-26492006000700004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3397

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1676-26492006000700004.pdf
Tamanho: 139.6KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta