Unruptured tubal pregnancy: different treatments for early and late diagnosis

Unruptured tubal pregnancy: different treatments for early and late diagnosis

Título alternativo Gravidez ectópica íntegra: tratamentos diferentes para os diagnósticos precoce e tardio
Autor Elito Junior, Julio Autor UNIFESP Google Scholar
Camano, Luiz Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo CONTEXT AND OBJECTIVE: There is evidence that ectopic pregnancies present different behavioral patterns. These distinct evolutions of ectopic pregnancies represent two different natural histories. To evaluate these evolution patterns, we compared patients undergoing medical treatment and expectant management according to their gestational age and initial beta-hCG levels. DESIGN AND SETTING: Prospective study at the Department of Obstetrics of Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), a tertiary center. METHODS: Among 119 cases of unruptured ectopic pregnancies diagnosed from April 1999 to February 2004, 57 received systemic treatment with methotrexate 50 mg/m² (body surface area) intramuscularly and 62 were managed expectantly. In this study we evaluated the beta-hCG levels at presentation and amenorrhea duration. RESULTS: There was a significant difference between the two groups regarding amenorrhea duration and initial beta-hCG levels (p < 0.001). The group with decreasing beta-hCG levels (managed expectantly) had longer amenorrhea (mean: 8.87 ± 1.71 weeks) and lower initial beta-hCG levels (mean: 648.8 ± 754.7 mIU/ml). On the other hand, the group treated with methotrexate had shorter amenorrhea (mean: 6.81 ± 1.88 weeks) and higher beta-hCG levels at presentation (2642.7 ± 2315.1 mIU/ml). CONCLUSIONS: The data suggest that ectopic pregnancies can be categorized into two groups: those with early diagnosis and shorter amenorrhea, increasing or maintained beta-hCG levels over 24 and 48-hour intervals and higher beta-hCG levels requiring medical treatment; and those with late diagnosis and longer amenorrhea, decreased beta-hCG levels over 24 and 48-hour intervals and lower beta-hCG levels requiring expectant management.

CONTEXTO E OBJETIVO: A gravidez ectópica apresenta comportamentos diferentes. Para avaliar as diferentes evoluções da gravidez ectópica, nós comparamos as pacientes submetidas ao tratamento medicamentoso e à conduta expectante de acordo com a idade gestacional e os valores iniciais de beta-hCG. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Estudo prospectivo, realizado no Departamento de Obstetrícia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), hospital terciário. MÉTODOS: Foram diagnosticados 119 casos de gravidez ectópica íntegra no período de abril de 1999 a fevereiro de 2004. O tratamento com metotrexato 50 mg/m² de superfície corpórea intramuscular foi realizado em 57 casos e a conduta expectante, em 62 casos. Neste estudo, nós avaliamos os valores iniciais de beta-hCG e o período de amenorréia. RESULTADOS: Houve diferença estatística significante entre os dois grupos com relação ao período de amenorréia e os valores iniciais de beta-hCG (p < 0,001). O grupo com títulos de beta-hCG em regressão (conduta expectante) apresentaram período de amenorréia mais longo (média:8,87 ± 1,71 semanas) e valores iniciais de beta-hCG mais baixos (648,8 + 754,7 mUI/ml). Por outro lado, o grupo tratado com metotrexato teve período menor de amenorréia (média 6,81 + 1,88 semanas) e valores de beta-hCG mais altos (2642,7 +2315,1 mUI/ml). CONCLUSÕES: Os resultados deste estudo sugerem que a gravidez ectópica pode ser categorizada em dois grupos: aquelas com diagnóstico precoce com período curto de amenorréia e valores elevados de beta-hCG que requerem tratamento com metotrexato, e aquelas com diagnóstico tardio com período longo de amenorréia e valores baixos de beta-hCG que requerem a conduta expectante.
Palavra-chave Ectopic pregnancy
Methotre-xate
Chorionic gonadotropin
Ultrasonography
Amenorrhea
Gravidez ectópica
Metotrexato
Gonadotropina coriônica
Ultrasonografia
Amenorréia
Idioma Inglês
Data de publicação 2006-11-01
Publicado em São Paulo Medical Journal. Associação Paulista de Medicina - APM, v. 124, n. 6, p. 321-324, 2006.
ISSN 1516-3180 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Paulista de Medicina - APM
Extensão 321-324
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802006000600004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1516-31802006000600004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3328

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-31802006000600004.pdf
Tamanho: 77.03KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta