Avaliação do perfil metabólico, nutricional e efeitos adversos de crianças com epilepsia refratária em uso da dieta cetogênica

Avaliação do perfil metabólico, nutricional e efeitos adversos de crianças com epilepsia refratária em uso da dieta cetogênica

Título alternativo Assessment of serum biochemistry, nutritional status and adverse effects of children with refractory epilepsy using the ketogenic diet
Autor Rizzutti, Sueli Autor UNIFESP Google Scholar
Ramos, Ana Maria Figueiredo Autor UNIFESP Google Scholar
Cintra, Isa de Pádua Autor UNIFESP Google Scholar
Muszkat, Mauro Autor UNIFESP Google Scholar
Gabbai, Alberto Alain Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: The purpose of this research was to evaluate adverse events, serum biochemistry, growth and nutritional status of children with difficult-to-control seizures who were submitted to ketogenic diet. METHODS: Twenty-three patients aging from 2 to 17 years with refractory epilepsies, where 43.5% (n=10) were males and 56.5% (n=13) females from the Sector of Neuropediatrics, Discipline of Neurology of the Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), were treated with the ketogenic diet and followed up for at least 1 year. Two patients were not able to achieve persistent ketosis either because they rejected the diets or their parents did not comply. RESULTS: Adverse events were all reversible and included hyperlipidemia, constipation (17.4%), nausea and vomiting (43.4%), drowsiness (47.8%), intercurrent infections (3.0%), diet refusal (13.0%) and epistaxis (4.3%). Growth was not affected in the short term and most heights remained within the normal centile lines. CONCLUSION: The ketogenic diet can be considered a safe and effective treatment for children with intractable seizures.

OBJETIVO: Avaliar os efeitos adversos, o perfil metabólico e o crescimento pôndero-estatural de crianças com crises epilépticas de difícil controle, as quais foram submetidas a dieta cetogênica. MÉTODOS: Selecionaram-se 23 pacientes na faixa etária de 2 até 17 anos com epilepsia de difícil controle medicamentoso, sendo 43,5% (n=10) do sexo masculino e 56,5% (n=13) do sexo feminino, provenientes do Setor de Neuropediatria da Disciplina de Neurologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Foram submetidos a dieta cetogênica e acompanhados por um período mínimo de um ano. Dois pacientes não conseguiram manter a cetose por falta de adesão dos pais à dieta. RESULTADOS: Os efeitos adversos encontrados foram reversíveis, incluindo hiperlipidemia, obstipação (17,4%), náuseas e vômitos (43,4%), sonolência (47,8%), infecções intercorrentes (3,0%), recusa da dieta (13,0%) e epistaxe (4,3%). O crescimento pôndero-estatural não foi afetado, tendo o peso e a estatura seguido o percentil adequado. CONCLUSÃO: A dieta cetogênica pode constituir-se em uma alternativa segura e efetiva para o tratamento de crianças com epilepsia refratária.
Assunto child; diet
effects
epilepsy
dietary fats
criança
dieta
epilepsia
lipídeos na dieta
Idioma Português
Data 2006-10-01
Publicado em Revista de Nutrição. Pontifícia Universidade Católica de Campinas, v. 19, n. 5, p. 573-579, 2006.
ISSN 1415-5273 (Sherpa/Romeo)
Editor Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Extensão 573-579
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732006000500005
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1415-52732006000500005 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3311

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S1415-52732006000500005.pdf
Tamanho: 191.2Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)