Avaliação do pico de pressão e da freqüência respiratória durante o uso de balão auto-inflável em um modelo de pulmão neonatal

Avaliação do pico de pressão e da freqüência respiratória durante o uso de balão auto-inflável em um modelo de pulmão neonatal

Título alternativo Evaluation of peak inspiratory pressure and respiratory rate during ventilation of an infant lung model with a self-inflating bag
Autor Resende, Jefferson G. Google Scholar
Menezes, Cristiane G. Google Scholar
Paula, Ana M. C. Google Scholar
Ferreira, Antonio C. P. Autor UNIFESP Google Scholar
Zaconeta, Carlos A. M. Google Scholar
Silva, César A. M. Google Scholar
Rodrigues, Marcelo P. Google Scholar
Tavares, Paulo Google Scholar
Instituição Universidade de Brasília
Secretaria de Saúde do Distrito Federal Escola Superior de Ciências da Saúde
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade de Brasília Hospital Universitário
Resumo OBJECTIVE: To evaluate the peak inspiratory pressure and ventilation rate achieved by physicians when using a neonatal self-inflating bag on a lung model. METHODS: Fifteen physicians ventilated full term and preterm infant lung simulators while the outcomes were captured by a ventilation monitor. RESULTS: Median peak pressures in cmH2O for full term and preterm lungs were 23 (interquartile range: 15-47) and 26 (interquartile range: 14-51), being less than 20 in 41.2 and 35.8% of the pressure curves analyzed, more than 40 in 29.7 and 33.6%, and between 27 and 33 cmH2O in 8.2 and 6.5% of the curves, respectively. Median ventilation rates were 45 (interquartile range: 36-57) and 48 (interquartile range: 39-55.5) cycles per minute, being more than 30 in 9.3 and 6.7% of pressure curves and more than 60 in 12 and 13.3% of pressure curves, for the full term and preterm lungs, respectively. The differences between these medians were not statistically significant. CONCLUSIONS: Ventilation rates achieved with the self-inflating bag were adequate in approximately 80% of pressure curves analyzed, but the physicians were unable to provide ventilation with minimal pressure variation, producing pressures that diverged from those defined by the neonatal resuscitation training course in 70% of the curves. This was irrespective of whether they were ventilating the lung model analogous to preterm or full term infant lungs.

OBJETIVO: Avaliar o pico de pressão inspiratória e a freqüência ventilatória obtidos por médicos quando da utilização de balão auto-inflável neonatal em modelo de pulmão. MÉTODOS: Quinze médicos ventilaram simuladores de pulmão de recém-nascidos a termo e pré-termo, sendo os desfechos captados através de um monitor de ventilação. RESULTADOS: As medianas dos picos de pressão foram 23 (intervalo interquartil, 15-47) e 26 (intervalo interquartil, 14-51) cmH2O, sendo menor que 20 em 41,2 e 35,8% das vezes; maior que 40 em 29,7 e 33,6% das vezes e entre 27 e 33 cmH2O em 8,2 e 6,5% das vezes, para o pulmão de termo e de pré-termo, respectivamente. As medianas das freqüências ventilatórias foram de 45 (intervalo interquartil, 36-57) e 48 (intervalo interquartil, 39-55,5) ciclos por minuto, sendo menor que 30 em 9,3 e 6,7% das vezes e maior que 60 em 12 e 13,3% das vezes, respectivamente, para o pulmão de termo e de pré-termo. As diferenças nas medianas não foram estatisticamente significantes. CONCLUSÃO: A ventilação utilizando o balão auto-inflável promoveu adequação para a freqüência ventilatória em aproximadamente 80% das vezes, e os médicos não conseguiram promover ventilação com mínima variabilidade na pressão, alcançando níveis diferentes daqueles definidos no curso de reanimação neonatal em 70% das vezes. Essa situação independeu da ventilação do pulmão-teste análogo ao sistema respiratório de recém-nascidos a termo ou pré-termo.
Palavra-chave Caldiopulmonary resuscitation
pulmonary ventilation
mechanical ventilation artificial respiration
newborn infant
neonatal asphyxia
Ressuscitação cardiopulmonar
ventilação pulmonar
ventilação mecânica
recém-nascido
asfixia neonatal
Idioma Português
Data de publicação 2006-10-01
Publicado em Jornal de Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria, v. 82, n. 5, p. 359-364, 2006.
ISSN 0021-7557 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Pediatria
Extensão 359-364
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572006000600009
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0021-75572006000600009 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3310

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0021-75572006000600009.pdf
Tamanho: 304.7KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta