Some adhesins of avian pathogenic Escherichia coli (APEC) isolated from septicemic poultry in Brazil

Some adhesins of avian pathogenic Escherichia coli (APEC) isolated from septicemic poultry in Brazil

Título alternativo Algumas adesinas de Escherichia coli aviária (APEC) isoladas de aves com colisepticemia no Brasil
Autor Knöbl, Terezinha Google Scholar
Gomes, Tania Aparecida Tardelli Autor UNIFESP Google Scholar
Vieira, Mônica Aparecida Midolli Autor UNIFESP Google Scholar
Ferreira, Fernando Google Scholar
Bottino, José Américo Google Scholar
Ferreira, Antonio José Piantino Google Scholar
Instituição Faculdades Metropolitanas Unidas Faculdade de Medicina Veterinária
Universidade de São Paulo (USP)
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Three hundred and fifty strains of E. coli isolated from septicemic poultry from seven states of Brazil were examined for presence of nine adhesion-encoding genes, hemagglutination and adherence to chicken tracheal cells (in vitro). Analysis of the strains by colony hybridization tests demonstrated that 93.7% of the isolates were fim +, 17% pap+ and 5.7% were sfa+. The mannose sensitive fimbriae occur with similar frequency in APEC isolated from all Brazilians states, while significant differences among pap and sfa genes distributions were observed. The results showed that 0.85% and 0.28% of APEC were positive for genes that encoded enteroaggregative adhesins and EPEC adherence factor, respectively. None of APEC was positive for DA, afa, Bfp and Eae probes. The adherence to chicken tracheal cells showed 96% positive strains, while hemagglutination assays showed 26.5% of the isolates were mannose sensitive and 21.7% were mannose resistant.

Trezentas e cinqüenta amostras de E. coli isoladas de aves com septicemia em sete estados do Brasil foram examinadas para a presença de nove genes codificadores de adesinas, hemaglutinação e aderência em células da traquéia (in vitro). A análise das amostras pela hibridização de colônias demonstrou que 93,7% dos isolados eram fim +, 17% pap+ e 5,7% eram sfa+. As fímbrias manose sensíveis apresentaram uma distribuição uniforme em todos os estados do Brasil. No entanto, diferenças significativas na distribuição dos genes pap e sfa foram observadas. Os resultados mostraram que 0,85% e 0,28% das APEC foram positivas para os genes que codificam as adesinas enteroagregativas e o fator de aderência de EPEC, respectivamente. Nenhuma amostra foi positiva para as sondas DA, afa, Bfp e Eae. A aderência em células de traquéia de aves revelou 96% de amostras positivas, enquanto os testes de hemaglutinação mostraram 26,5% dos isolados mannose sensíveis e 21,7% manose resistentes.
Palavra-chave APEC
Escherichia coli
adhesins
colibacillosis
poultry
APEC
Escherichia coli
adesinas
colibacilose
ave
Idioma Inglês
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data de publicação 2006-09-01
Publicado em Brazilian Journal of Microbiology. Sociedade Brasileira de Microbiologia, v. 37, n. 3, p. 379-384, 2006.
ISSN 1517-8382 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Microbiologia
Extensão 379-384
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1517-83822006000300033
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1517-83822006000300033 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3235

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1517-83822006000300033.pdf
Tamanho: 49.63KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta