Tratamento de pacientes com úlceras isquêmicas secundárias à esclerose sistêmica com N-acetilcisteína endovenosa

Tratamento de pacientes com úlceras isquêmicas secundárias à esclerose sistêmica com N-acetilcisteína endovenosa

Título alternativo Treatment of patients with isquemic ulcers secondary to systemic sclerosis with intravenous N-acetylcysteine
Autor Kayser, Cristiane Autor UNIFESP Google Scholar
Luz, Karine Rodrigues da Autor UNIFESP Google Scholar
Rocha, Livanio Ferreira da Autor UNIFESP Google Scholar
Andrade, Luiz Eduardo Coelho Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The repetitive ischemic-reperfusion episodes in patients with systemic sclerosis (SSc) cause an increase in free radical activity, which may be implicated in the inflammatory and vascular lesions observed in this illness. Endovenous N-acetylicysteine is a potent anti-oxidant agent and might be beneficial to the treatment of vascular events in SSc. This communication reports on the use of endovenous N-acetylcysteine in three SSc patients with active ulcers in fingers and toes. At baseline, two patients presented two finger ulcers each, and a third patient had three ulcers in the toes. All patients presented a decrease in the dimensions of at least one ulcer. Two patients presented complete healing of one ulcer. These preliminary results suggest that endovenous N-acetylcysteine may be an efficient therapeutic option for extremity ulcers in SSc patients and support future randomized double blind placebo-controlled trials.

Os repetidos episódios de isquemia-reperfusão observados na esclerose sistêmica (ES) acarretam aumento na atividade de radicais livres, o que pode estar implicado nas anormalidades vasculares e inflamatórias descritas nessa enfermidade. A N-acetilcisteína sob forma endovenosa é uma potente droga antioxidante e, como tal, poderia ter efeito benéfico para o tratamento das lesões vasculares da ES. Relatamos o tratamento com N-acetilcisteína endovenosa de três pacientes com diagnóstico de ES e com úlceras ativas de extremidades (dígitos ou artelhos). Dois pacientes apresentavam duas úlceras digitais e o terceiro paciente, três úlceras em artelhos no início do tratamento. Todos os pacientes apresentaram diminuição no diâmetro de pelo menos uma úlcera após o tratamento. Duas pacientes apresentaram cicatrização de uma úlcera. Esses resultados preliminares sugerem que a N-acetilcisteína endovenosa parece ser uma boa opção terapêutica para o tratamento de úlceras de extremidades em pacientes com ES e justificam a elaboração de ensaios controlados duplo-cego com placebo.
Palavra-chave systemic sclerosis
ischemic ulcers
Raynaud s phenomenon
N-acetylcysteine
esclerose sistêmica
úlceras isquêmicas
fenômeno de Raynaud
N-acetilcisteína
Idioma Português
Data de publicação 2006-04-01
Publicado em Revista Brasileira de Reumatologia. Sociedade Brasileira de Reumatologia, v. 46, n. 2, p. 148-152, 2006.
ISSN 0482-5004 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Reumatologia
Extensão 148-152
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0482-50042006000200012
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0482-50042006000200012 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3007

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0482-50042006000200012.pdf
Tamanho: 284.0KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta