Como são tratadas as fraturas diafisárias fechadas do fêmur no Brasil? Estudo transversal

Como são tratadas as fraturas diafisárias fechadas do fêmur no Brasil? Estudo transversal

Título alternativo How are closed femoral diaphyseal fractures treated in Brazil? A cross-sectional study
Autor Pires, Robinson Esteves Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Fernandes, Hélio Jorge Alvachian Autor UNIFESP Google Scholar
Belloti, Joao Carlos Autor UNIFESP Google Scholar
Balbachevsky, Daniel Autor UNIFESP Google Scholar
Faloppa, Flávio Autor UNIFESP Google Scholar
Reis, Fernando Baldy dos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Hospital Felício Rocho
Resumo A cross-sectional study was performed during the 36th Brazilian Congress of Orthopaedics and Traumatology, where the opinions of Brazilian orthopaedic surgeons addressing the treatment of femoral diaphyseal fractures in adults were surveyed. Five hundred and seven questionnaires were fully completed and the results show agreement in the following topics: fracture trace configuration and injuries of soft parts or neurovascular structures as key parameters for determining treatment; fractures classification, in which AO was most frequently adopted; milled blocked anterograde intramedullary nail for treating cross-sectioned and short oblique factures at the isthmus; bridge plate for treating complex trace fractures; pre-operative skeletal traction; infection as the most frequent complication, and; postoperative low molecular weight heparin. There were opinion conflicts for the following topics: use of traction table for performing intramedullary osteosynthesis, time interval between trauma and surgery; time of antibiotics use, and; mean hospitalization time. Regarding literature, there was agreement concerning key parameters for determining treatment; fixation method for simple-traces fractures at the isthmus; adopted classification; antithrombotic prophylaxis. Issues such as fixation method for complex-traced fractures; time of antibiotics use; average interval between trauma and osteosynthesis, and; hospitalization time were different from literature.

Realizou-se um estudo transversal no 36º Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia, onde foi pesquisada a opinião de ortopedistas brasileiros sobre aspectos do tratamento de fraturas diafisárias do fêmur no adulto. Quinhentos e sete questionários foram respondidos integralmente e encontrou-se concordância entre os ortopedistas em relação aos seguintes aspectos: configuração do traço de fratura e lesão de partes moles ou de estruturas neurovasculares como parâmetros principais para decisão sobre o tratamento; classificação das fraturas, em que a AO foi a mais adotada; haste intramedular anterógrada bloqueada fresada para tratamento das fraturas transversas e oblíquas curtas no istmo; placa ponte para o tratamento das fraturas com traço complexo; tração esquelética pré-operatória; infecção como complicação mais freqüente e uso de heparina de baixo peso molecular no pós-operatório. Houve conflito de opiniões nas seguintes questões: uso de mesa de tração para realização de osteossíntese intramedular; intervalo de tempo entre o trauma e a cirurgia; tempo de utilização de antibióticos e tempo médio de hospitalização. Em relação à literatura, houve concordância em relação aos parâmetros principais para decisão sobre o tratamento; método de fixação das fraturas com traço simples no istmo; classificação adotada; profilaxia antitrombótica. Diferiram da literatura questões como o método de fixação das fraturas com traço complexo; tempo de utilização dos antibióticos, intervalo médio entre o trauma e a osteossíntese e tempo de internação.
Palavra-chave Femoral fractures
Cross-sectional studies
Fractures
Fraturas do fêmur
Estudos transversais
Fraturas
Idioma Português
Data de publicação 2006-01-01
Publicado em Acta Ortopédica Brasileira. Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, v. 14, n. 3, p. 165-169, 2006.
ISSN 1413-7852 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Extensão 165-169
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1413-78522006000300010
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1413-78522006000300010 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2869

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1413-78522006000300010.pdf
Tamanho: 305.6KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta