A systematic review on clinical management of antipsychotic-induced sexual dysfunction in schizophrenia

A systematic review on clinical management of antipsychotic-induced sexual dysfunction in schizophrenia

Título alternativo Revisão sistemática no manejo clínico de disfunções sexuais induzidas por antipsicóticos na esquizofrenia
Autor Costa, Anna Maria Niccolai Autor UNIFESP Google Scholar
Lima, Mauricio Silva de Autor UNIFESP Google Scholar
Mari, Jair de Jesus Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo INTRODUCTION: Sexual dysfunction frequently occurs in patients with schizophrenia under antipsychotic therapy, and the presence of sexual side effects may affect compliance. The aim of this study was to review and describe clinical findings relating to the appropriate management of such dysfunctions. MATERIAL AND METHODS: The research was carried out through Medline (from 1966 to March 2005), PsycInfo (from 1974 to March 2005), and Cochrane Library (from 1965 to March 2005) and included any kind of study, from case reports to randomized trials. RESULTS: The most common sexual dysfunctions found in the literature were libido decrease, difficulties in achieving and maintaining erection, ejaculatory dysfunction, orgasmic dysfunction, and menstrual irregularities. Thirteen papers were found: eight of them were open-label studies, four were descriptions of cases, and only one was a randomized clinical trial. All of them were short-term and had small sample sizes. The agents used were: bromocriptine, cabergoline, cyproheptadine, amantadine, shakuyaku-kanzo-to, sildenafil and selegiline. DISCUSSION: There was no evidence that those agents had proper efficacy in treating the antipsychotic-induced sexual dysfunction. An algorithm for managing sexual dysfunction induced by antipsychotics is suggested as a support for clinical decisions. Since the outcome from schizophrenia treatment is strongly related to compliance with the antipsychotics, prevention of sexual dysfunction is better than its treatment, since there is a scarcity of data available regarding the efficacy of intervention to deal with these problems.

INTRODUÇÃO: Disfunção sexual freqüentemente ocorre em pacientes com esquizofrenia em terapia com antipsicóticos e a presença de efeitos adversos sexuais pode afetar a adesão ao tratamento. O objetivo do estudo é rever e descrever achados clínicos relacionados ao manejo apropriado de tais disfunções. MATERIAIS E MÉTODOS: A pesquisa foi feita pelo Medline (de 1966 a março de 2005), PsycInfo (de 1974 a março de 2005) e Biblioteca Cochrane (de 1965 a março de 2005) e incluiu qualquer tipo de desenho de estudo de relato de caso a estudos clínicos randomizados. RESULTADOS: As disfunções sexuais mais comuns encontradas na literatura foram diminuição da libido, dificuldades em alcançar e manter ereção, disfunção ejaculatória, orgásmica e irregularidades menstruais. Treze artigos foram encontrados: oito deles eram estudos abertos, quatro descrições de casos e somente um estudo clínico randomizado. Todos eram de curta duração e com tamanho de amostra pequeno. Os agentes usados foram: bromocriptina, cabergolina, ciproheptadina, amantadina, shakuyaku-kanzo-to, sildenafil e selegilina. DISCUSSÃO: Não há evidências de eficácia apropriada destes agentes no tratamento da disfunção sexual induzida por antipsicóticos. Um algoritmo foi sugerido para manejo da disfunção sexual induzida por antipsicóticos, suportando decisões clínicas. Como o desfecho da esquizofrenia é fortemente relacionado a adesão ao tratamento com antipsicóticos, a prevenção da disfunção sexual é melhor que seu tratamento, visto que muito poucos dados estão disponíveis sobre a eficácia de intervenções destes problemas.
Palavra-chave Schizophrenia
Antipsychotic agents
Sexual and gender disorders
Libido
Esquizofrenia
Agentes antipsicóticos
Transtornos sexuais e da identidade sexual
Libido
Idioma Inglês
Data de publicação 2006-01-01
Publicado em São Paulo Medical Journal. Associação Paulista de Medicina - APM, v. 124, n. 5, p. 291-297, 2006.
ISSN 1516-3180 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Paulista de Medicina - APM
Extensão 291-297
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802006000500012
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1516-31802006000500012 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2854

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-31802006000500012.pdf
Tamanho: 98.67KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta