Distrofia muscular congênita estudo histoquímico do músculo esquelético de 17 pacientes

Distrofia muscular congênita estudo histoquímico do músculo esquelético de 17 pacientes

Título alternativo Congenital muscular dystrophy: skeletal muscle histochemical study of 17 patients
Autor Oliveira, Acary Souza Bulle Autor UNIFESP Google Scholar
Schmidt, Beny Autor UNIFESP Google Scholar
Ferreira Neto, Armando Autor UNIFESP Google Scholar
Kiyomoto, Beatriz Hitomi Autor UNIFESP Google Scholar
Gabbai, Alberto Alain Autor UNIFESP Google Scholar
Lima, J. G. Camargo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo A thorough histological description of 17 patients with congenital muscular dystrophy (CMD) is presented. The biopsies were performed in the left superficial deltoid muscle and processed with histochemical techniques. All samples showed connective tissue proliferation, changes in the internal architecture, necrosis, increase of adipose tissue, ma-crophagia, fiber regeneration and segmentation, central nuclei, and type I fiber predominance. The histological hallmarks of this entity are the marked endomysial connective tissue proliferation that frames one fiber from the other, and the important changes in the fiber's internal architecture. Those two abnormalities are extremely helpful to differentiate, on histological grounds, CMD from limb girdle muscular dystrophy and Duchenne/Becker muscular dystrophy. CMD presents a particular natural course and should be individualized apart from other muscular dystrophies.

Foram individualizados 17 pacientes com distrofia muscular congênita (DMC) por critérios clínico-laboratoriais e biópsia muscular com estudo histoquímico do músculo deltóide superficial. São descritas e ilustradas, com detalhes, as alterações histológicas observadas nas respectivas biópsias e que compõem seu substrato anátomo-patológico: proliferação conjuntiva, alteração na arquitetura interna, necrose, involução gordurosa, macrofagia, regeneração, segmentação, centralizações nucleares e predominância de fibras tipo I. Destacamos a intensa proliferação conjuntiva endomisial ,que tende a isolar cada fibra muscular separadamente, e as importantes alterações na arquitetura, interna, com formação de fibras bizarras, que constituem dois importantes sinais que devem ser ressaltados tendo em vista um diagnóstico histológico diferencial com a distrofia muscular de Duchenne e Becker (DMD/ B) e com a distrofia forma cintura-membros. A importância de se individualizar a DMC das outras formas de distrofias musculares reside principalmente em seu prognóstico que, na maioria das vezes, é mais favorável que na DMD.
Idioma Português
Data de publicação 1991-06-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 49, n. 2, p. 185-191, 1991.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo)
Publicador Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 185-191
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1991000200012
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-282X1991000200012 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/280

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-282X1991000200012.pdf
Tamanho: 1.385MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta