Topiramate for the treatment of juvenile myoclonic epilepsy

Topiramate for the treatment of juvenile myoclonic epilepsy

Título alternativo Tratamento da epilepsia mioclônica juvenil com topiramato
Autor Sousa, Patrícia da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Araujo Filho, Gerardo Maria de Autor UNIFESP Google Scholar
Garzon, Eliana Autor UNIFESP Google Scholar
Sakamoto, Américo Ceiki Autor UNIFESP Google Scholar
Yacubian, Elza Márcia Targas Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: The aim of this study was to evaluate the efficacy and tolerability of topiramate (TPM) in juvenile myoclonic epilepsy (JME). METHOD: We assessed seizure control and adverse effects of TPM in 22 patients (18 females) aged 13 to 53 years. Target TPM dosage was up to 200 mg/day. The patients were subdivided into 3 groups: those treated with seizure control plus side effects (n=4); treated with non-controlled seizures (n=15) and with JME newly diagnosed (n=3). RESULTS: Sixteen patients completed the first year of the follow-up. Generalized tonic-clonic seizures were completely controlled in 10 (62.5%); more than 50% of reduction in 4 (25.0%) and less than 50% in 2 (12.5%). Myoclonia were controlled in 11 (68.8%) and persisted in 5 (31.2%) patients. Absence seizures were present in 5 (22.7%) of whom 2 (9.0%) showed more than 50% of seizure reduction while 3 (13.6%) presented worsening. Discontinuations were due to inadequate seizure control and adverse events (N=4), low compliance and loss of follow-up (N=2) and subject choice (N=1). CONCLUSION: TPM showed to be an effective and well-tolerated drug in the treatment of JME. Although frequently observed, TPM side effects were tolerable and the drug could be maintained in the majority of patients.

OBJETIVO: Avaliar a eficácia e tolerabilidade do topiramato (TPM) na epilepsia mioclônica juvenil (EMJ). MÉTODO: Avaliamos a resposta terapêutica e efeitos colaterais do TPM em 22 pacientes (18 mulheres) com idades entre 13 e 53 anos. A dose alvo utilizada foi até 200 mg/dia. Os pacientes foram divididos em 3 grupos no início do tratamento: aqueles com controle das crises mas que apresentavam efeitos colaterais (n=4); com crises não controladas (n=15) e com EMJ recém diagnosticada (n=3). RESULTADOS: Dezesseis pacientes completaram o primeiro ano de acompanhamento. Crises tônico-clonicas generalizadas foram completamente controladas em 10 (62,5%), tiveram redução maior de 50% em 4 (25,0%) e menor de 50% em 2 (12,5%). Mioclonias foram controladas em 11 (68,8%) e persistiram em 5 (31.2%) pacientes. As crises de ausências, presentes em 5 (22,7%) pacientes, tiveram redução maior do que 50% em 2 (9,0%) e agravamento em 3 (13,6%). A retirada do estudo foi devida principalmente ao controle inadequado das crises e efeitos colaterais indesejáveis (n=4), pouca adesão e perda do seguimento (n=2) e escolha do paciente (n=1). CONCLUSÃO: TPM foi considerada droga eficaz e bem tolerada no tratamento da EMJ. Apesar de freqüentemente observados, os efeitos colaterais do TPM foram toleráveis e a medicação pode ser mantida na maioria dos pacientes.
Palavra-chave topiramate
treatment
juvenile myoclonic epilepsy
topiramato
tratamento
epilepsia mioclônica juvenil
Idioma Inglês
Data de publicação 2005-09-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 63, n. 3b, p. 733-737, 2005.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo)
Publicador Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 733-737
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2005000500001
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-282X2005000500001 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2683

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-282X2005000500001.pdf
Tamanho: 555.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta