Hiperandrogenismo e pele: síndrome do ovário policístico e resistência periférica à insulina

Hiperandrogenismo e pele: síndrome do ovário policístico e resistência periférica à insulina

Título alternativo Hyperandrogenism and skin: polycystic ovary syndrome and peripheral insulin resistance
Autor Yarak, Samira Autor UNIFESP Google Scholar
Bagatin, Edileia Autor UNIFESP Google Scholar
Hassun, Karime Marques Autor UNIFESP Google Scholar
Parada, Meire Odete Américo Brasil Autor UNIFESP Google Scholar
Talarico Filho, Sergio Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The polycystic ovary syndrome is an extremely common endocrine disorder in women of chilbearing age. It is characterized by menstrual disturbance, hyperandrogenism and/or hyperandrogenemia. The primary pathophysiological defect is unknown, but important characteristics include insulin resistance, androgen excess and impaired gonadotropin dynamics. The most frequent clinical characteristics of polycystic ovary syndrome are associated with the pilosebaceous unit, such as hirsutism, acne, seborrhea and alopecia. Thus, the dermatologist may be responsible for making an early diagnosis of the syndrome, thus preventing delay in establishing preventive and therapeutic measures. The current management recommended for skin manifestations of polycystic ovary syndrome includes combined oral contraceptives, antiandrogens and insulin-sensitizing agents, besides changes in life style. This is a review article on diagnosis, pathophysiology and treatment of polycystic ovary syndrome. The authors emphasize that a clear understanding of pathophysiology of this syndrome, especially by dermatologists, is crucial for its preventive treatment through the different phases in the life of women.

A síndrome do ovário policístico é distúrbio endócrino feminino, extremamente comum na idade reprodutiva. Caracteriza-se por anormalidades menstruais, hiperandrogenismo e/ou hiperandrogenemia. A principal alteração na fisiopatologia é desconhecida. Entretanto, parece que a resistência à insulina, o hiperandrogenismo e a alteração na dinâmica das gonadotropinas são os mais importantes mecanismos fisiopatológicos envolvidos. As características clínicas mais freqüentes da síndrome do ovário policístico estão relacionadas com a unidade pilossebácea, como hirsutismo, acne, seborréia e alopecia. Desse modo, o dermatologista pode ser responsável pelo diagnóstico precoce da síndrome, evitando o retardo na instituição de medidas terapêutico-preventivas. Atualmente, as drogas recomendadas para as manifestações cutâneas da síndrome do ovário policístico são os contraceptivos orais conjugados, antiandrógenos e sensibilizantes de insulina e, além disso, é geralmente recomendada a modificação no estilo de vida. Trata-se de artigo de revisão sobre diagnóstico, fisiopatologia e tratamento da síndrome do ovário policístico. Os autores enfatizam que o conhecimento da fisiopatologia dessa síndrome, principalmente pelos dermatologistas, é fundamental para seu tratamento preventivo, nas diferentes fases da vida da mulher.
Palavra-chave Hyperandrogenism
Skin
Insulin resistance
Hypothalamic-pituitary axis
Treatment
Hiperandrogenismo
Pele
Resistência à insulina
Sistema hipotálamo-hipofisário
Idioma Português
Data de publicação 2005-08-01
Publicado em Anais Brasileiros de Dermatologia. Sociedade Brasileira de Dermatologia, v. 80, n. 4, p. 395-410, 2005.
ISSN 0365-0596 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Dermatologia
Extensão 395-410
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0365-05962005000400011
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0365-05962005000400011 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2654

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0365-05962005000400011.pdf
Tamanho: 248.6KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta