Anatomia microscópica do canal carótico e suas relações com a cóclea e a cavidade timpânica

Anatomia microscópica do canal carótico e suas relações com a cóclea e a cavidade timpânica

Título alternativo Microscopic anatomy of the carotid canal and its relations with cochlea and middle ear
Autor Penido, Norma de Oliveira Autor UNIFESP Google Scholar
Borin, Andrei Autor UNIFESP Google Scholar
Fukuda, Yotaka Autor UNIFESP Google Scholar
Lion, Cristina Navarro Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The knowledge of the relations between the noble and vital structures of temporal bone is still a great challenge for the otologic surgeon. The microscopic anatomic studies of the temporal bone are one of the greatest help to prevent lesions during surgical intervention. AIM: To study the anatomic correlations between the carotid canal and the cochlea, and the occurrence of dehiscence of the carotid canal in the middle ear tympanic cavity. MANTERIAL AND METHODS: Microscopic study of 122 human temporal bones. RESULTS: The average distance between the carotid canal and the cochlea were: the shortest distance, 1.05mm; basal turn, 2.04mm; middle turn, 2.32mm; and apical turn, 5.70mm. The occurrence of dehiscence of the carotid canal inside the tympanic cavity was 35.2%. CONCLUSION: The small distances between the cochlea and carotid canal, and the high incidence of dehiscence in the tympanic cavity remind us that anatomical knowledge of the temporal bone is required for the best qualification of otologists.

As relações entre as diversas estruturas nobres e vitais que se apresentam na intimidade do osso temporal constituem ainda hoje um grande desafio para o cirurgião otológico. Os estudos micro-anatômicos do mesmo se encontram entre as grandes armas na busca deste entendimento. OBJETIVO: Estudar as correlações anatômicas entre o canal carótico e a cóclea, e a ocorrência de deiscências do mesmo junto à cavidade timpânica. MATERIAL E MÉTODO: Estudo microscópico de 122 ossos temporais humanos. RESULTADOS As distâncias médias entre o canal carótico e os giros cocleares foram: no local de menor distância 1,05mm; no giro basal, 2,04mm; no giro médio, 2,32mm; e no giro apical, 5,7mm. A ocorrência de deiscências do canal carótico na cavidade timpânica foi de 35,2%. CONCLUSÃO: A pequena distância entre estruturas cocleares e o canal carótico, e a alta prevalência de deiscências do mesmo na cavidade timpânica nos relembram o desafio com o qual o cirurgião otológico se depara ao atuar sobre o osso temporal.
Assunto anatomy
temporal bone
internal carotid artery
cochlea
ear
anatomia
osso temporal
artéria carótida interna
cóclea
orelha
Idioma Português
Data 2005-08-01
Publicado em Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial, v. 71, n. 4, p. 410-414, 2005.
ISSN 0034-7299 (Sherpa/Romeo)
Editor ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Extensão 410-414
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72992005000400002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-72992005000400002 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2636

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0034-72992005000400002.pdf
Tamanho: 782.6Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)