Autologous grafting of extraocular muscles: experimental study in rabbits

Autologous grafting of extraocular muscles: experimental study in rabbits

Título alternativo Transplante autólogo de musculatura ocular extrínseca: estudo experimental em coelhos
Autor Meireles-teixeira, Jorge Autor UNIFESP Google Scholar
Bicas, Harley E. A. Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade de São Paulo (USP)
Resumo PURPOSE: To evaluate the feasibility of autologous extraocular muscle grafting as a type of muscle expansion surgery. METHODS: The left superior rectus muscle of twenty-nine rabbits was resected and this fragment was attached to the endpoint of the respective right superior rectus (test group). Thereafter, the superior rectus of the left eye was reattached to the sclera (control group). Both groups were examined during different postoperative periods in order to assess their outcomes. RESULTS: The presence of hyperemia was slightly more frequent in the grafted group. Secretion and muscle atrophy were negligible in both groups. Fibrosis was greater in grafted animals. These muscles were weaker than the control muscles, although the force required to split muscular parts was always greater than the physiological one. CONCLUSIONS: This surgical technique was reliable and useful if one intends to achieve muscle expansion without the intrinsic risks of dealing with heterologous/artificial materials.

OBJETIVO: Avaliar a viabilidade do uso de segmentos de músculos oculares extrínsecos como expansores de tendões musculares. MÉTODOS: Vinte e nove coelhos tiveram seu músculo reto superior esquerdo ressecado e o fragmento de cada um foi transplantado para o reto superior contralateral (grupo-teste). Então, o reto superior esquerdo foi reinserido na esclera (grupo-controle). Os animais foram então examinados em diversos períodos pós-operatórios, até os seus sacrifícios, para que se avaliasse o desenrolar dessa técnica cirúrgica. RESULTADOS: A hiperemia foi maior entre os testes. A secreção e a atrofia muscular foram mínimas nos dois grupos. Houve maior presença de fibrose no grupo-teste, mas não tão expressiva a ponto de inviabilizar os efeitos da cirurgia. Esses músculos também se romperam mais facilmente do que os do grupo-controle, porém, a força de rompimento foi sempre bem maior do que aquela presente numa contração muscular normal. CONCLUSÕES: A técnica de transplante autólogo homotópico de músculos oculares extrínsecos provou ser confiável e eficaz, para o alongamento muscular.
Palavra-chave Esotropia
Oculomotor muscles
Transplantation
autologous
Ophthalmologic surgical procedures
Rabbits
Esotropia
Músculos oculomotores
Transplante autólogo
Procedimentos cirúrgicos oftalmológicos
Coelhos
Idioma Inglês
Data de publicação 2005-06-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 68, n. 3, p. 295-297, 2005.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 295-297
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492005000300004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-27492005000300004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2560

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492005000300004.pdf
Tamanho: 37.90KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta