Hiperhomocisteinemia na insuficiência renal crônica

Hiperhomocisteinemia na insuficiência renal crônica

Título alternativo Hyperhomocysteinemia in chronic renal failure
Autor Nerbass, Fabiana Baggio Autor UNIFESP Google Scholar
Draibe, Sergio Antonio Autor UNIFESP Google Scholar
Cuppari, Lilian Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Homocysteine is a sulfur-containing amino acid derived from the metabolism of methionine, whose abnormal accumulation in plasma is a risk factor for vascular disease in the general population and in patients with chronic renal disease. In these patients, the prevalence of individuals with hyperhomocysteinemia is very high, even in the pre-dialysis stage of the disease. The main factor that seems to be implicated on the elevation of homocysteine levels in this population is the renal mass loss, considering that the kidney has an important role in the metabolism of such amino acid. The treatment of hyperhomocysteinemia consists on supplementation of the vitamins that are involved in the homocysteine metabolism (folate, B6 and B12.). However, for chronic renal disease patients, this treatment is not completely effective, because although it promotes reduction of homocysteine levels, the normalization is not reached in the majority of the patients. This study reviews the hyperhomocysteinemia etiology on chronic renal disease, its main determinants, its relationship with vascular diseases, and the modes of treatment.

A homocisteína é um aminoácido sulfurado proveniente do metabolismo da metionina, cujo acúmulo anormal no plasma é um fator de risco para doenças vasculares, tanto na população em geral como nos pacientes com insuficiência renal crônica. Nestes, a prevalência de indivíduos com hiperhomocisteinemia é bastante elevada, mesmo na fase não dialítica da doença, em que a função renal está diminuída, mas ainda não é necessário tratamento dialítico. O principal fator que parece estar implicado na elevação dos níveis de homocisteína nestes pacientes com insuficiência renal crônica é a perda da massa renal, já que esta exerce uma importante função no metabolismo desse aminoácido. O tratamento da hiperhomocisteinemia na população em geral consiste na suplementação com as vitaminas envolvidas no seu metabolismo (folato, B6 e B12). Porém, em pacientes com insuficiência renal crônica, este tratamento não é completamente eficaz, pois apesar de promover a redução dos níveis de homocisteína, não alcança a normalização dos mesmos na maioria dos pacientes. Este estudo compreende uma revisão da etiologia da hiperhomocisteinemia na insuficiência renal crônica, sua relação com as doenças vasculares, seus principais determinantes e as formas de tratamento.
Palavra-chave homocysteine
hyperhomocysteinemia
kidney failure
chronic
homocisteína
hiperhomocisteinemia
insuficiência renal crônica
Idioma Português
Data de publicação 2005-04-01
Publicado em Revista de Nutrição. Pontifícia Universidade Católica de Campinas, v. 18, n. 2, p. 239-249, 2005.
ISSN 1415-5273 (Sherpa/Romeo)
Publicador Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Extensão 239-249
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732005000200008
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1415-52732005000200008 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2494

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1415-52732005000200008.pdf
Tamanho: 251.7KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta