Tratamento dos aneurismas da aorta descendente por endoprótese (tromba de elefante)

Tratamento dos aneurismas da aorta descendente por endoprótese (tromba de elefante)

Título alternativo Treatment of the aneurysms of descending aorta for intraluminal prosthesis (elephant trunk)
Autor Fonseca, José Honório de Almeida Palma da Autor UNIFESP Google Scholar
Perfeito, João Aléssio Juliano Autor UNIFESP Google Scholar
Cal, Ruy Guilherme Rodrigues Autor UNIFESP Google Scholar
Almeida, Dirceu Rodrigues de Autor UNIFESP Google Scholar
Ota, Luiz Hirotoshi Autor UNIFESP Google Scholar
Gianotti, Inês Abrantes Autor UNIFESP Google Scholar
Andrade, José Carlos S Autor UNIFESP Google Scholar
Buffolo, Enio Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Aneurysms of descending aorta still cause great morbidity and mortality even in modern cardiac surgery days. In this paper, we describe the use of a recente technique which consists in the insertion of an intraluminal Dacron prosthesis, sutured only in its proximal end, just after the left subclavian artery. The prosthesis goes beyoud the aneurysm area and stays free in its distal aortic segment (elephant trunk). The operation is performed with bypass and profound hypothermia at 19ºC with circulatory arrest for just enough time to insert the prosthesis and make the proximal suture. Since May 1988 eight patients underwent this kind of surgery: six cases of acute type B dissection and two cases of saccular aneurysms. The procedure is very simple and fast and the post-operative results obtained make clear that our experience should go on. We recommend this procedure as a tactical alternative, specially for type B dissections.

Os aneurismas da aorta descendente ainda causam grande mortalidade e morbidade, apesar dos avanços da cirurgia cardiovascular moderna. Neste trabalho utilizamos, originalmente em nosso meio, uma técnica recente que consiste na inserção de uma prótese de Dacron intraluminar, suturada apenas em sua porção proximal, logo após a subclávia esquerda e que transpõe a zona do aneurisma, ficando solta no interior da aorta em sua porção distai (tromba de elefante). A operação é realizada com circulação extracorpórea, hipotermia profunda de 19ºC, com parada circulatória no tempo suficiente para a inserção da prótese e sutura da sua borda proximal. Desde maio de 1988, oito pacientes fizeram parte deste estudo, sendo que seis eram dissecções da aorta tipo B e dois casos, aneurismas verdadeiros. A simplicidade e rapidez do procedimento, assim como os resultados pós-operatórios obtidos nos animam a prosseguir e recomendar este tipo de alternativa tática, especialmente nas dissecções de aorta tipo B.
Palavra-chave aneurysms of descending aorta
intraluminal prosthesis
aneurismas de aorta descendente
endoprótese
Idioma Português
Data de publicação 1989-12-01
Publicado em Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, v. 4, n. 3, p. 190-194, 1989.
ISSN 0102-7638 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Extensão 190-194
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-76381989000300002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-76381989000300002 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/249

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-76381989000300002.pdf
Tamanho: 1.319MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta