Efeitos das isoflavonas no numero de fibras musculares, vasos sanguíneos e fibras colágenas no útero e na uretra de ratas castradas

Efeitos das isoflavonas no numero de fibras musculares, vasos sanguíneos e fibras colágenas no útero e na uretra de ratas castradas

Título alternativo Effects of the isoflavones in the number of muscles fibers, blood vessels and collagen fibers in uterus and urethra of ooforectomized rats
Autor Santos, Elaine Travaglia Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Girão, Manoel João Batista Castello Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Medicina (ginecologia) - São Paulo
Resumo Objetivo: Avaliar o número de fibras musculares, vasos sanguíneos e fibras colágenas na uretra e no útero de ratas adultas castradas, tratadas com extrato de isoflavonas de soja, precoce e tardiamente à castração. Métodos: Foram utilizadas 45 ratas adultas, virgens, pesando em média 200g, Rattus norvegicus albinus (Rodentia Mammalia, Wistar EPM-1). Os animais foram alimentados com ração à base de caseína, isenta de soja. Após cinco dias de adaptação, as ratas foram anestesiadas e submetidas à ooforectomia bilateral. Após cinco dias da castração, foram divididas em três grupos de 15 ratas cada: Grupo I - (controle) – castradas sem tratamento, que receberam somente o veículo propilenoglicol durante 30 dias consecutivos, sendo sacrificadas a seguir; Grupo II (ISO5D) - ratas tratadas com isoflavonas na dose de genisteína de 125 µg/g peso corporal por dia, a partir do 5o dia da castração, por 30 dias consecutivos; Grupo III (ISO28D) - ratas tratadas com isoflavonas na dose de genisteína de 125 µg/g peso corporal por dia, a partir do 28o dia da castração, por 30 dias consecutivos. Após os trinta dias de tratamento, as ratas foram sacrificadas. Utilizou-se extrato de isoflavonas a 40%, contendo 8,15% de genisteína e 19,19% de daidzeína, administrado aos animais por gavagem. Foi realizado um estudo prévio para a padronização da dose do extrato, avaliando-se o efeito no peso relativo do útero em diferentes doses de genisteína (2,5; 25; 50; 125µg/g PC/ dia), usando-se um controle negativo para comparação. Após o sacrifício, realizou-se estudo morfométrico das paredes do útero e da uretra média das ratas, por meio de contagem do número de núcleos, vasos sanguíneos e fibras colágenas. Resultados: Em relação ao útero, observa-se que os grupos tratados precoce e tardiamente com isoflavonas diferiram do grupo controle em todas as características. Em se tratando da uretra, nota-se que apenas o grupo tratado precocemente com isoflavonas diferiu do grupo controle nas características número de núcleos e de fibras colágenas. Comparando-se os grupos tratados precoce e tardiamente com isoflavonas, observa-se que não há diferença entre eles para todas as características, em relação ao útero. Analisando-se a uretra, houve diferença entre os grupos tratados para as características número de núcleos e de fibras colágenas. Conclusão: Os achados mostraram que a administração oral de extrato de isoflavonas da soja para ratas adultas ooforectomizadas, na dose de genisteína de 125µg/ g de peso corporal/ dia apresenta efeito uterotrópico. A administração do extrato precoce à ooforectomia tem efeito em uretra média, revertendo às alterações advindas da castração, o que não se observa com a administração do extrato após 28 dias da ooforectomia.

Objective: To evaluate the number of muscle fibers, blood vessels and collagen fibers in the urethra and uterus of castrated adult female rats, treated with soy isoflavone extract for 30 days, starting on the 5th or 28th day after castration. Methods: 45 adult virgin female rats, Rattus norvegicus albinus (Rodentia Mammalia, Wistar EPM-1), weighing 200g on average, were fed a casein-based, soy-free diet. After five days of adaptation, they were anesthetized and underwent bilateral oophorectomy. Five days after castration, they were split into three groups of 15 rats each: Group I (control), castrated without treatment, receiving only the propylene glycol vehicle for 30 consecutive days, and sacrificed next; Group II (ISO5D), treated with isoflavones at the dose of 125 µg genistein/g body weight a day, from the 5th day of castration, for 30 consecutive days; Group III (ISO28D), treated with isoflavones at the dose of 125 µg genistein/g body weight a day, from the 28th day of castration, for 30 consecutive days. After thirty days of treatment, they were sacrificed. Isoflavone extract at 40%, containing 8.15% genistein and 19.19% daidzein, was administered by oral gavage. A preliminary study was conducted in order to standardize the extract dose, evaluating the effect on relative uterus weight of different genistein doses (2.5; 25; 50; 125 µg/g BW/day), using a negative control for comparison. After the sacrifice, a morphometric study of the uterus and mid urethra walls was conducted, counting the number of nuclei, blood vessels and collagen fibers. Results: Regarding the uterus, the ISO5D and ISO28D groups differed from the control group in all respects. Regarding the urethra, only the ISO5D group differed from the control group, in terms of number of nuclei and collagen fibers. There was no difference between the ISO5D and ISO28D groups regarding the uterus. Regarding the urethra, there was a difference between the treatment groups in terms of number of nuclei and collagen fibers. Conclusion: Our findings show that the oral administration of soy isoflavone extract to oophorectomized female adult rats, at the dose of 125 µg genistein/g BW/day, shows an uterotropic effect. The early (5th day) administration of the extract after oophorectomy has an effect in the mid urethra, reversing the changes promoted by castration, which was not observed with the administration of the extract from the 28th day after oophorectomy.
Palavra-chave Isoflavonas
Uretra
Útero
Vasos Sanguíneos
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em SANTOS, Elaine Travaglia. Efeitos das isoflavonas no numero de fibras musculares, vasos sanguíneos e fibras colágenas no útero e na uretra de ratas castrada. 2008. 88 p. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2008.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 88 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/24505

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-24505.pdf
Tamanho: 1.504MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta