Alterações da córnea, análise de ferentes de onda e sensibilidade ao contraste na terapia do remodelamento refrativo pela ortoceratologia.

Alterações da córnea, análise de ferentes de onda e sensibilidade ao contraste na terapia do remodelamento refrativo pela ortoceratologia.

Título alternativo Corneal changes, wavefront analisis and contrast sensitivity on orthokeratology refractive reshaping therapy
Autor Stillitano, Iane Gonçalves de Lima Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Hofling-Lima, Ana Luisa Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo OBJETIVOS: Avaliar as modificações topográficas e tomográficas da córnea e do sistema óptico ocular durante teste de ortoceratologia (orto-k). Correlacionar as medidas das aberrações ópticas induzidas pela superfície anterior da córnea com as das aberrações ópticas de todo o olho durante remodelamento pela orto-k e identificar se as medidas das aberrações dos elementos ópticos internos compensam as das aberrações da córnea. Avaliar as alterações nas aberrações oculares e sensibilidade ao contraste durante um ano de seguimento de orto-k noturna. Avaliar a estabilidade das aberrações oculares durante o dia, após seis meses de remodelamento corneano pela orto-k noturna. Reportar a primeira série de casos documentados de bolhas e identações corneanas associadas ao remodelamento por orto-k após primeira noite de uso das lentes. MÉTODOS: Quatorze pacientes míopes (26 olhos) foram submetidos ao teste de orto-k com a lente BE (Ultravision Pty. Ltd., Brisbane, Australia). Topografia corneana, paquimetria óptica e aberrometria ocular foram realizados pré-orto-k e após uma e oito noites de uso das lentes. As medidas das aberrações de todo o olho e as das aberrações da córnea foram analisadas pré-orto-k e após 180 noites do uso das lentes em 22 dos 26 olhos (12 pacientes) e correlacionados entre si por regressão linear e pelo valor médio da curva de inclinação “m” (aberração ocular/aberração da córnea). Esses 26 olhos foram adaptados, posteriormente, com a lente BE e a aberração óptica ocular analisada pré-orto-k e após 1, 8, 30, 90, 180 e 365 noites pós-ortho-k. A sensibilidade ao contraste após um ano foi comparada à sensibilidade basal sob condições fotópicas e mesópicas, com e sem ofuscamento, na frequência espacial de 1,5, 3, 6, 12 e 18 ciclos/grau (cpd). Um valor P menor que 0,05 foi considerado estatisticamente significante. Na visita da noite 180, foram medidas a acuidade visual não corrigida (UCVA), refração cicloplégica e aberrações às 8h (dentro de uma hora após acordar e remover as lentes), às 13h (após 5-6 horas de remoção das lentes) e às 18h (após 10-12 horas de remoção das lentes). Foi documentado com fotos, em três desses casos, a ocorrência de identações corneanas transitórias após o primeiro uso noturno da lente BE. RESULTADOS: O resultado do teste de oito noites de orto-k mostrou que o equivalente esférico médio mudou de -2,24±0,98D pré-orto-k para +0,15±0,76D (P=0,001). 69,2 por cento dos pacientes atingiram UCVA de 20/20. Houve aumento significante na espessura da córnea temporal...(au).
Palavra-chave Sensibilidades de contraste
Córnea
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 116 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 116 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/24363

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta