Aspectos nutricionais e metabólicos em população nipo-brasileira e Suya

Aspectos nutricionais e metabólicos em população nipo-brasileira e Suya

Título alternativo Nutrition and metabolism in Japanese-Brazilian population and Suya
Autor Salvo, Vera Lucia Morais Antonio de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Gimeno, Suely Godoy Agostinho Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O objetivo deste estudo foi avaliar o perfil nutricional e metabólico de população nipo-­brasileira e Suyá. Exarninaram-se 1165 nipo-brasileiros, com idade ≥ 30 anos e 86 Suyá adultos (≥ 20 anos) de ambos os sexos. 0 hábito alimentar (questionário de freqüência de consumo de alimentos) de nipo-brasileiros foi descrito a partir de um da presença de doença macrovascular (DMV). A porcentagem de casos confirmados com DMV foi de 3,2% sendo semelhante entre os sexos. As freqüências de sujeitos com DMV (confirmados ou suspeitos) foram estatisticamente maiores entre aqueles de primeira geração, com idade ≥60 anos, tabagistas, com hipertensão arterial, hipertrigliceridemia e diabetes, quando comparados aos sem essas condições Nipo-brasileiros com DMV, quando comparados aos sem essa condição, apresentaram menor perímetro do quadril, maiores valores médios de idade, pressão arterial sistólica, triglicérides, glicemia. Indivíduos com DMV informaram maior consumo de alimentos fonte de ferro e menor de fibras de grãos quando comparados aos sem DMV. Entre os Suyá observou-se que as mulheres, quando comparadas aos homens, apresentaram valores médios estatisticamente menores das variáveis antropométricas, de pressão arterial, triglicérides, VLDL e ácido urico. As porcentagens de índios Suyá com excesso de peso, obesidade generalizada, central, alterações pressóricas, glicemia de jejum alterada, dislipidemia e síndrome metabólica foram, respectivamente, 46,5%,12,8%,38,4%,26,7%,4%,63,9% e 21,9. A porcentagem de sujeitos com índice de conicidade elevado foi de 65,1% (IC 95%: 54,1 % - 75,1 %), com maior freqüência no sexo feminino, entre os mais velhos, com obesidade central, com hipercolesterolemia ou síndrome metabólica. Alterações metabólicas e antropométricas estão presentes entre os Suyá e nipo-brasileiros. Intervenções educativas devem ser implementadas para resgatar hábitos e estilo de vida tradicionais ou mais saudáveis a fim de conter o avanço deste quadro..
Palavra-chave Doença crônica
População indígena
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2008. 145 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 145 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/24245

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta