Condicionamento e emoção no contexto dos sistemas múltiplos de memória

Condicionamento e emoção no contexto dos sistemas múltiplos de memória

Título alternativo Conditioning and emotion in context of multiple systems in memory
Autor Oliveira, Maria Gabriela Menezes de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo As emoções e processos cognitivos como a memória parecem estar interligados. Existem diferentes tipos de emoções e diferentes tipos de memória o que torna o campo de estudo da interação entre estes processos. Quanto à memória se aceita existirem pelo menos dois tipos diferentes em seres humanos designadas de memória explicita e implícita. 0 hipocampo seria indispensável para a primeira, mas não para a segunda. Em animais de laboratório costuma-se diferenciar memórias hipocampo dependentes de memórias hipocampo independentes. Esta denominação vem do fato de que a lesão de hipocampo prejudica o desempenho de animais em algumas tarefas utilizadas para se avaliar memória, mas não em outras. 0 condicionamento classico de medo ao contexto e a esquiva inibitória se encaixam na primeira categoria ao passo que o condicionamento clássico de medo ao som na segunda. Estas são as tarefas mais utilizados na literatura para se investigar a memória emocional, e mais especificamente a memória relacionada ao medo. o medo constitui uma potente e importante experiência emocional. Urn estímulo que sinaliza uma situação de perigo ou ameaça deve ser rapidamente detectado e econhecido para que o organismo possa emitir uma série de respostas que sejam capazes de defendê-Io ou afastá-Io desse estímulo. O presente manuscrito descreve um conjunto de estudos que pretendern contribuir para a compreensão cada vez maior dos substratos neurobiológicos da memória para eventos aversivos utilizando diferentes abordagens. 0 medo e avaliado principalmente através do comportamento de "freezing" (congelamento) nas tarefas de condicionamento clássico ou através do comportamento de esquiva na tarefa de esquiva inibitória. Manipulações farmacológicas diretamente no hipocampo ou no córtex entorrinal através da administração de AP5 prejudicam o condicionamento de medo ao contexto, mas não ao som. Várias manipulações de efeito sistêmico foram utilizadas foram administração de diciclomina, antagonista muscarínico M1, nociceptina/orfanina, MK-801, antagonistas do receptor NMDA, choque eletro convulsivo, privação de sono paradoxal, exercício intenso. Estas manipulações quando administradas antes do treino provocam preferencialmente prejuízo na aquisição das tarefas hipocampo dependentes. Apenas os tratamentos farmacológicos foram administrados logo após o treino para verificar seus efeitos sobre a consolidação das tarefas. Nem a diciclomina nem a nociceptina/orfanina prejudicaram a consolidação das tarefas. A diciclomina prejudicou a evocação apenas do condicionamento de medo ao contexto. Na tarefa hipocampo dependentes verificamos também prejuízo após administração conjunta de doses sub-efetivas (quando administradas isoladamente) de MK-801 e diciclomina. Estes dados sugerem que ocorra uma interação entre 0 sistema colinérgico e 0 glutamatérgico na media9ao de tarefas hipocampo dependentes. A tarefa de condicionamento de medo ao som foi sensível apenas a lesão direta de estriado.
Palavra-chave Memória
Medo
Condicionamento clássico
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2008. 93 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 93 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de livre-docência
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/24161

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta