Efeitos da suplementação de potássio via sal de cozinha sobre a pressão arterial e a resistência à insulina em pacientes obesos hipertensos em uso de diuréticos

Efeitos da suplementação de potássio via sal de cozinha sobre a pressão arterial e a resistência à insulina em pacientes obesos hipertensos em uso de diuréticos

Título alternativo Effects of potassium supplementation by salt on arterial blood pressure and insulin resistance in hypertensive obese patients on diuretic therapy
Autor Pereira, Maria Alice De Gouveia Autor UNIFESP Google Scholar
Galvão, Roberto Autor UNIFESP Google Scholar
Zanella, Maria Teresa Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: The objectives of the present study were to evaluate the effects of oral potassium supplementation, associated with a hypocaloric diet and aerobic exercises, on plasma potassium levels, blood pressure and insulin resistance, in centrally obese, not well controlled hypertensive patients on diuretic therapy; waist to hip ratio >0.85 in women, and >0.95 in men; systolic blood pressure >140mmHg and <160mmHg and/or diastolic blood pressure >90mmHg and <105mmHg. METHODS: This was a prospective double-blind randomized study including 22 patients divided in 2 groups: sodium chloride n=10, and potassium chloride n=12. For 12 weeks, each group received cooking salt containing, either 100% sodium chloride, or 50% sodium chloride and 50% potassium chloride. All patients were submitted to a hypocaloric diet and advised to increase their physical activity; a 40-minute walk three times a week. Before and after the study period, all patients were submitted to determinations of body mass index, body composition, waist circumference, sodium and potassium urinary excretions, sodium and potassium serum levels, 24h ambulatory blood pressure monitoring, oral glucose tolerance test with serum insulin measurements at fasting and 120 minutes after glucose load, and serum lipid profile. RESULTS: In both groups, no changes were observed in serum sodium and potassium levels, in blood glucose and insulin levels, insulin resistance indexes and serum lipid profile. The body mass index decreased similarly in both groups; 3.5±2.0% in sodium Chloride, and 2.7±3.2% in Potassium Chloride, as well as 24 h systolic ambulatory blood pressure monitoring mean; from 134.7 ±14.8 to 130.2±12.6mmHg (p<0.05) in group sodium chloride, and from 128.2±7.4 to 122.9±5.7mmHg (p<0.05) in potassium, and 24h diastolic ambulatory blood pressure monitoring from 84.4±10.2 to 81.4 ± 8.9mmHg in sodium chloride, and from 84.0±5.7 to 79.5±3.9mmHg (p<0.05) in group potassium (p<0.05). Changes in 24h systolic ambulatory blood pressure monitoring correlated with changes in the waist circumference, but not with changes in bory mass index when all patients were analyzed together. Serum lipid profile, blood glucose levels and insulin resistance indexes did not differ between groups and did not change during the study. CONCLUSION: Weight reduction induced by life style changes, promotes reductions in blood pressure, which are proportional to reductions in abdominal fat. Potassium supplementation through cooking salt was insufficient to avoid serum potassium falling during diuretic therapy and did not show any additional beneficial effect on blood pressure or insulin resistance in hypertensive patients with central obesity.

OBJETIVO: Avaliar os efeitos da suplementação de potássio, por intermédio do sal de cozinha contendo cloreto de potássio, associada à dieta hipocalórica e à atividade física aeróbica, sobre a pressão arterial e índices de resistência à insulina em pacientes hipertensos com obesidade abdominal. MÉTODOS: Estudo prospectivo duplo-cego, randomizado, em 22 pacientes hipertensos com excesso de peso (índice de massa corporal >27kg/m²) e controle insatisfatório da pressão arterial durante o uso de diuréticos pressão arterial sistólica >140 e <160mmHg e/ou pressão arterial diastólica >90 e <105mmHg. O estudo teve duração de 12 semanas, durante as quais, os pacientes, divididos em dois grupos (grupo sal normal, n=10; grupo sal de potássio, n=12), receberam sal contendo 100% de cloreto de sódio, ou sal contendo 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio. No início e ao final do estudo, os pacientes foram submetidos à determinação do índice de massa corporal, da circunferência da cintura, dos níveis séricos e da excreção urinária de sódio e potássio, à monitorização ambulatorial da pressão arterial nas 24 horas, ao teste oral de tolerância à glicose com determinação dos níveis séricos de insulina em jejum e aos 120 minutos, à determinação do perfil lipídico do plasma e à medida da composição corporal. RESULTADOS: No grupo sal de potássio, os níveis do potássio sérico não se elevaram, como no grupo sal normal, embora se elevasse de 38,8±18,6 para 62,3±29,7mEq/g a excreção de creatinina urinária (p<0,05). A perda de peso, semelhante nos dois grupos (3,5% no grupo sal normal e 2,7% no grupo sal de potássio), associou-se às reduções na pressão arterial sistólica durante a monitorização ambulatorial da pressão arterial; de 134,7 ±14,8 para 130,2±12,6mmHg (p<0,05) no grupo sal normal e de 128,2±7,4 para 122,9±5,7mmHg (p<0,05) no grupo sal de potássio, e às reduções na pressão arterial diastólica durante a monitorização ambulatorial da pressão arterial, de 84,4±10,2 para 81,4 ± 8,9mmHg no grupo sal normal e de 84,0±5,7 para 79,5±3,9mmHg (p<0,05) no grupo sal de potássio. As variações da pressão arterial sistólica, semelhantes nos dois grupos, correlacionaram-se com as variações das medidas da circunferência da cintura em todos os pacientes analisados em conjunto (r s=0,624; p=0,002). Os índices de resistência à insulina e o perfil lipídico do plasma não se alteraram e não diferiram entre os grupos. CONCLUSÃO: Nossos resultados indicam que as perdas de peso induzidas por alterações no estilo de vida promovem reduções na pressão arterial, proporcionais às reduções na gordura abdominal. A suplementação de potássio a partir da utilização do sal de cozinha contendo cloreto de potássio, em pacientes hipertensos obesos em uso de diurético, se mostrou insuficiente para impedir a queda dos níveis séricos de potássio e não resultou em nenhum efeito sobre a resistência à insulina ou sobre a pressão arterial, além daquele obtido pela perda de peso.
Palavra-chave potassium chloride
diuretics
obesity
arterial blood pressure
insulin resistance
cloreto de potássio
diuréticos
obesidade
pressão arterial
resistência à insulina
Idioma Português
Data de publicação 2005-02-01
Publicado em Revista de Nutrição. Pontifícia Universidade Católica de Campinas, v. 18, n. 1, p. 5-17, 2005.
ISSN 1415-5273 (Sherpa/Romeo)
Publicador Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Extensão 5-17
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732005000100001
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1415-52732005000100001 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2416

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1415-52732005000100001.pdf
Tamanho: 898.6KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta