Estudo da microbiota intestinal de gram negativos aeróbios e anaeróbios facultativos na sepse e a sua relação com a gênese da translocação bacteriana em ratos.

Estudo da microbiota intestinal de gram negativos aeróbios e anaeróbios facultativos na sepse e a sua relação com a gênese da translocação bacteriana em ratos.

Título alternativo Intestinal aerobic and anaerobic microbiota in sepsis and its relation to bacterial translocation
Autor Liberatore, Ana Maria Alvim Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Koh, Ivan Hong Jun Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: A sepse é uma condição clínica complexa caracterizada pela resposta inflamatória a infecção, frequentemente relacionada a falência de múltiplos órgãos e óbito pela amplificação e ou disfunção da resposta inflamatória do hospedeiro. 0 trato gastrintestinal tem sido relacionado com a indução e agravamento da sepse pré-existente, pelos fatores sobrecrescimento da microbiota, disfunção da barreira e ativação do sistema imune local. Neste contexto, estudos experimentais e clínicos têm referido a translocação bacteriana (TB) como sendo o "motor" da síndrome de disfunção de múltiplos órgãos (SDMO) na sepse, pela passagem das bactérias intestinais para a circulação sistêmica através da barreira mucosa, com subseqüente ativação do tecido Iinfóide associado ao intestino (TLAI) e transferência de seus produtos inflamatórios biologicamente ativos para o sangue circulante pela via Iinfática. Considerando que a condição de sobrecrescimento da microbiota intestinal tem sido referida como um dos fatores de indução da TB, o papel da sepse no sobrecrescimento da microbiota intestinal precisa ser melhor elucidado a fim de trazer novas contribuições na manifestação fisiopatológica complexa da doença sepse. Objetivo: Estudar o efeito da infecção sistêmica na microbiota intestinal de Gram negativos aeróbios e anaeróbios facultativos e a sua relação com a TB em ratos. Métodos: Ratos Wistar-EPM foram submetidos a três diferentes intensidades de sepse, 107 (S-7), 108 (S-8) e 109(S-9} UFC/ml de E.coli ONT:H2 morta, por inoculação em veia jugular (n=60) e no grupo Sham foi injetado a solução salina. (n=30). Animais sem procedimentos foram usados como grupo controle negativo (n=27). Segmentos de duodeno, jejuno, íleo, ceco, cólon e fezes foram cutivados para a determinação quantitativa por gênero de Gram negativos. Linfonodos de mesentério intestina (LNM), baço e fígado foram coletados para a determinação de índice de TB. Ambos os monitoramentos foram realizados nos períodos de 6h, 12h e 24h, após estímulo específico dos grupos. Resultados: 0 sobrecrescimento bacteriano foi observado em todas as intensidades de sepse de forma crescente no sentido crânio-caudal, conforme a evolução dos tempos de experimento, sendo proporcional a intensidade da infecção. 0 intestino delgado apresentou maiores alterações de sobrecrescimento da microbiota quando comparado ao intestino ...(au).
Palavra-chave Sepse
Translocação bacteriana
Bactérias gram-negativas
Intestinos/microbiologia
Trato gastrointestinal
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2008. 96 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 96 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/24075

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta