Pesquisa de Escherichia coli diarreiogênica nas fezes de crianças de diferentes níveis sociais do município de Osasco

Pesquisa de Escherichia coli diarreiogênica nas fezes de crianças de diferentes níveis sociais do município de Osasco

Título alternativo Detection of diarrheagenic Escherichia coli in stool samples from children of different socioeconomic levels in the city of Osasco
Autor Souza, Tamara Barros de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Scaletsky, Isabel Cristina Affonso Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo O presente projeto teve como objetivo avaliar a presença de E. coli diarreiogênica nas fezes de crianças de nível socioeconômico baixo, comparando-as com crianças de nível socioeconômico elevado do município de Osasco. O grupo de estudo constituiu-se de 79 crianças, na faixa etária entre 6 e 10 anos, residentes numa favela situado na periferia da zona norte de Osasco, conhecido popularmente como “Morro do Socó”. O grupo controle foi constituído por 35 crianças entre 6 e 10 anos, freqüentadoras da escola particular Colégio Oswaldo Cruz (COC) de mesmo município. Um total de 515 amostras de E. coli, sendo 364 obtidas de 79 crianças do grupo Favela e 151 de 35 crianças do grupo Escola Particular, foram submetidas a dois ensaios de PCRs multiplex para identificação de cinco categorias de E. coli diarreiogênica (EPEC, EAEC, ETEC, EIEC e EHEC) e testes de adesão às células HEp-2. E. coli diarreiogênica foi identificada em 41 (51,8%) e 6 (17,1%) crianças provenientes do grupo Favela e Escola Particular, respectivamente. No grupo Favela, DAEC foi a mais freqüente (19,1%), seguida pela EAEC (16,4%), EPEC atípica (8,9%) e EIEC (3,7%). Infecções mistas foram encontradas em 5 crianças. No grupo Escola Particular, DAEC foi identificada em 3 (8,6%) crianças, EAEC, EPEC típica e outra atípica foram encontradas em uma criança (2,8%). Uma alta freqüência (43%) de afaC, relacionada a adesina afimbrial da família Dr, foi identificada entre as amostras de DAEC estudadas. Entre as EAEC, os genes irp2, shf e shET1 foram encontrados em freqüências que variaram aproximadamente de 6% a 30%. Apenas uma amostra de EPEC atípica, proveniente de criança do grupo Favela, apresentou o gene astA. Uma alta freqüência de resistência a sulfonamida (50%) foi verificada nas amostras de DAEC e EAEC e EPEC atípica, isoladas de crianças do grupo Favela. Resistência a ampicilina, cotrimoxazol, estreptomicina e tetraciclina foi menos freqüente, variando de 10 a 40%. No grupo Escola Particular, duas amostras de DAEC mostraram-se resistentes a ampicilina, estreptomicina e sulfonamida..
Palavra-chave Escherichia coli
Fezes
Bactérias/isolamento & purificação
Escherichia coli
Feces
Bacteria/isolation & purification
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2008. 65 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 65 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/24006

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta