Avaliação de marcadores bioquímicos da remodelação óssea no diagnóstico da osteodistrofia renal em pacientes submetidos a hemodiálise crônica

Avaliação de marcadores bioquímicos da remodelação óssea no diagnóstico da osteodistrofia renal em pacientes submetidos a hemodiálise crônica

Título alternativo Evaluation of biochemical markers of bone remodeling for diagnosing renal osteodystrophy in hemodialysis patients
Autor Barreto, Fellype de Carvalho Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Carvalho, Aluizio Barbosa de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo ntrodução: O diagnóstico correto do tipo de osteodistrofia renal (OR) é de fundamental importância para o manuseio adequado do paciente com doença renal crônica (DRC). O espectro de apresentação da OR varia entre estados de alta e baixa remodelação óssea. Suas manifestações clínicas e laboratoriais, porém, muitas vezes se sobrepõem, e o tratamento para cada um daqueles estados deve ser distinto. O método diagnóstico de certeza da OR é a biópsia óssea, que por ser invasiva e de custo elevado, não faz parte da prática clínica diária do nefrologista. A dosagem da molécula intacta do hormônio paratireoideano (PTHi) tem sido considerada há mais de uma década como o principal marcador bioquímico para a avaliação da OR. Todavia, a confiabilidade desse método tem sido questionada durante os últimos anos. Consequentemente, o interesse pela utilização de outros marcadores bioquímicos da remodelação óssea tem aumentado. Dentre eles, a fosfatase alcalina óssea (FAo), um marcado r de formação óssea, e a deoxipiridinolina (DPD), um marcador de reabsorção óssea, merecem atenção especial. Objetivos: Avaliar se os níveis de PTHi propostos pelas diretrizes sobre Metabolismo e Doença Óssea na DRC da National Kidney FOllndation Kidney Disease Outcomes Quality Initiative (K/DOQI) são de fáto eficientes para prevenir alterações da remodelação óssea em pacientes com DRC estágio 5 em hemodiálise. Comparar diferentes marcadores bioquímicos da remodelação óssea, PTHi, fosfatase alcalina total (FAt) e óssea (FAo), e DPD, na identificação do tipo de OR, isto é, se de alta ou baixa remodelação. Material e métodos: Os dados utilizados para a realização do estudo derivam de um estudo prospectivo, randomizado, controlado, desenhado para avaliar os efeitos de dois quelantes de fósforo sobre o metabolismo ósseo e mineral de pacientes com DRC submetidos à hemodiálise durante o período de um ano. Foram realizadas duas biópsias ósseas, uma no início e outra no final do seguimento, além de dosagens de cálcio iônico, fósforo, F At, F Ao, DPD e PTHi.Resultados: No início do estudo, a doença óssea de baixa ou de alta remodelação foi diagnosticada em 60% e 37% dos pacientes, respectivamente. Os níveis séricos dos marcadores bioquímicos de remodelação óssea foram significativamente menores nos...(au).
Palavra-chave Osteodistrofia renal
Marcadores biológicos
Hormônio paratireóideo
Diálise renal
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2008. 68 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 68 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23911

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta