Efeito da amitriptilina, irradiação e do micofenolato mofetil na fibrose túbulointersticial induzida pela obstrução ureteral unilateral em camundongos

Efeito da amitriptilina, irradiação e do micofenolato mofetil na fibrose túbulointersticial induzida pela obstrução ureteral unilateral em camundongos

Título alternativo Effect of amitriptyline, and irradiation of mycophenolate mofetil in tubulo fibrosis induced by unilateral urethral obstruction in mice
Autor Achar, Eduardo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Schor, Nestor Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A fibrose tubulointersticial é uma das principais características apresentadas durante a doença renal terminal e determinante na progressão da lesão renal. A OUU é um modelo representativo da fibrose renal intersticial com expressão significativa de citocinas e mediadores inflamatórios, como o TGF-Beta1, osteopontina (OPN), MCP-1 e ICAM-1. Nesse cenário, a OUU é um modelo experimental importante para o estudo de alvos terapêuticos, focando a prevenção ou diminuição da progressão da nefropatia. Alguns estudos demonstraram que a AMT é eficaz em quadros de cistite intersticial e possui efeitos antiinflamatórios. Este trabalho foi realizado para identificar se AMT pode ser uma droga com uso potencial no tratamento da progressão da doença renal, principalmente na fibrose intersticial, em modelo de OUU. o ureter direito de camundongos C57BU6 machos foi ligado e os animais receberam solução salina ou AMT (1 mg/Kg/dia) por gavagem oral durante um período que variou de 1 a 10 dias. Após esse período, o rim obstruído e contralateral foram removidos e processados. A fibrose intersticial foi analisada pela coloração do tricrômio de Masson. A infiltração de miofibroblastos e macrófagos foi avaliada por imunohistoquímica, utilizando anticorpos específicos para alfa-SMA e CD68, respectivamente. PCR quantitativa foi empregada para investigar o efeito de AMT na expressão de osteopontina, MCP-1, ICAM-1 e TGF-beta1. Os dados de AMT foram comparados com os dados de animais que receberam MMF (10 mg/Kg/dia) e irradiação corporal por raios-X após a OUU. Após a lesão por OUU, os animais sem tratamento apresentaram uma expressão abundante de a-SMA e deposição de colágeno no interstício renal, assim como uma intensa infiltração de macrófagos. AMT promoveu uma redução significante na fibrose intersticial, com uma mínima infiltração de macrófagos e...(au).
Palavra-chave Amitriptilina
Obstrução uretral
Fibrose
Inflamação
Idioma Português
Data de publicação 2008
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2008. 126 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 126 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23876

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta