Tradução para a língua portuguesa, adaptação cultural e validação da Escala de Braden Q

Tradução para a língua portuguesa, adaptação cultural e validação da Escala de Braden Q

Título alternativo Translation into portuguese cultural adaptation and validation of the Braden Q Scale
Autor Maia, Ana Claudia Amoroso Ribeiro de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Cirurgia translacional - São Paulo
Resumo INTRODUÇÃO: A úlcera por pressão (UP) é tema importante na área da saúde, por sua complexidade, que pode ser agravada por infecções que aumentam o tempo de internação e os custos do tratamento. A Escala de Braden foi adaptada para o uso pediátrico por Curley et al em 2004, utilizando os fatores de risco específicos em desenvolver UP em crianças. Esta Escala foi denominada Escala de Braden Q. OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi traduzir para a língua portuguesa, adaptar ao contexto cultural brasileiro e testar as propriedades de medidas, reprodutibilidade e validade, da Escala de Braden Q. MÉTODOS: O questionário foi traduzido e adaptado de acordo com metodologia aceita internacionalmente. Foi realizada tradução e tradução reversa do instrumento, intercaladas de revisões feitas por comitê multisciplinar. Na fase de adaptação cultural, três grupos de dez enfermeiras avaliaram a Escala de Braden Q até ter entendimento integral da Escala. Na validação da reprodutividade, outras duas enfermeiras aplicaram a Escala de Braden Q em crianças internadas na UTI em tempos diferentes, sendo que a primeira enfermeira avaliou em segundo momento. Na análise estatística, para testar a consistência interna da escala, foi calculado o Alpha de Crombach e, para testar a reprodutividade, o teste intraclasse e a correlação de Spearman. xiii Resumo RESULTADOS: No processo de tradução e retrotradução, não houve diferença nas escalas feitas pelos diferentes tradutores. Na adaptação cultural realizada pelas 30 enfermeiras, todos os itens da escala foram considerados relevantes, a consistência interna testada pelo Alpha de Crombach foi de 0,936 e a correlação intraclasse da reprodutividade intra-observador foi de 0,995 e da reprodutividade inter-observador foi de 0,998, ambas apontadas como excelentes quanto à reprodutividade. CONCLUSÃO: A Escala de Braden Q foi traduzida e adaptada com sucesso, demonstrando ser válida e reprodutível.

INTRODUCTION: Pressure ulcer is an important theme in the area of health due to its complexity, which can be aggravated by infections that increase hospitalization time and treatment costs. The Braden Scale was adapted for pediatric use by Curley et al in 2004, using the specific risk factors in developing pressure ulcers in children. This scale was called Braden Q Scale. OBJECTIVES: To translate into Portuguese, adapt to the Brazilian cultural context and test the properties of the Braden Q Scale’s measurements (reproducibility and validity). METHODS: The questionnaire was translated and adapted according to an internationally accepted methodology. The instrument was translated and translated in reverse, intercalated with reviews made by a multidisciplinary committee. In the cultural adaptation phase, three groups of ten nurses assessed the Braden Q Scale until they had full understanding of the Scale. In the reproducibility assessment, two other nurses applied the Braden Q Scale in children admitted in the ICU at different times, being that the first nurse assessed it later. After undergoing a consensus, the Braden Q Scale was reviewed by a Portuguese lecturer. In the statistical analysis, to test the scale’s internal consistency, the Cronbach’s Alpha was calculated, and the intraclass test to test the reproducibility. RESULTS: In the translation and back-translation process, there was no difference in the scales made by the different translators. In the cultural adaptation made by the 30 nurses, all the scale's items were considered to be relevant, the Internal Consistency tested by Cronbach's Alpha was 0.936 and the intraclass correlation of the intraobserver reproducibility was 0.995 and of the inter-observer reproducibility was 0.998, both referred to as excellent with regard to reproducibility. CONCLUSION: The Braden Q Scale was translated and adapted successfully, proving that it is valid and reproducible
Palavra-chave Úlcera por Pressão/prevenção & controle
Crianças com Deficiência
Estudos de Validação
Traduções
Escalas
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em MAIA, Ana Claudia Amoroso Ribeiro de. Tradução para a língua portuguesa, adaptação cultural e validação da Escala de Braden Q. 2007, 74 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2007.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 74 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23823

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-23823.pdf
Tamanho: 808.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta