Sindrome de Moëbius: reações emocionais em crianças, nas dimensões prazer e alerta do International Affective Picture System (IAPS)

Sindrome de Moëbius: reações emocionais em crianças, nas dimensões prazer e alerta do International Affective Picture System (IAPS)

Título alternativo Moëbius Syndrome: emotional reactions in children in valence and arousal dimensions of the International Affective Picture System (IAPS)
Autor Gemignani, Elizabeth Yu Me Yut Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Guedes, Zelita Caldeira Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Verificar as respostas emocionais subjetivas, nas dimensões prazer e alerta, em crianças com síndrome de Möebius. Método: Participaram deste estudo, 145 crianças, de ambos os sexos, com idade entre 10 e 12 anos. Todas foram submetidas a um procedimento de avaliação das reações emocionais, nas dimensões prazer e alerta, através da exposição a um conjunto de figuras de conteúdo emocional do International Affective Picture System (IAPS), cujas respostas foram registradas através do Self-Assessment Manikin (SAM), uma escala de respostas emocionais, na versão lápis-e-papel. Esta pesquisa foi dividida em dois estudos: no Estudo 1, a amostra foi constituída por 141 crianças normais, sem comprometimentos orgânicos e mentais, de ambos os sexos, com idades entre 10 e 12 anos, da 4ª série do ensino fundamental, do período da manhã, da rede municipal de ensino da cidade de Mairiporã, São Paulo, Brasil, para se obter as normas de padronização e a validação do IAPS para a população brasileira e compará-las com a amostra norte-americana. No Estudo 2, foram avaliadas 4 crianças com síndrome de Möebius, do Ambulatório dos Distúrbios da Comunicação Humana, do Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina, utilizando o mesmo procedimento do Estudo 1 para compará-las com as padronizações das amostras brasileiras e norte-americanas. Resultados: No Estudo 1, os resultados obtidos na amostra brasileira, na dimensão prazer e alerta, distribuídas no espaço afetivo, foram analisados estatisticamente através da Correlação de Pearson, demonstrando altas correlações positivas e negativas. Em relação à comparação entre os gêneros, na dimensão prazer e alerta, o total das médias e os desvios-padrão para cada grupo (meninos e meninas), demonstrou que não foi evidenciada diferença estatisticamente significante. No que se refere à análise comparativa entre a amostra brasileira e a norte-americana, houve correlação significante e linearmente positiva e negativa para o total de crianças, tanto na dimensão prazer quanto na dimensão alerta. Na comparação entre o total das médias e dos desvios-padrão das respostas do IAPS obtidas nas amostras brasileira e norte-americana, nas dimensões prazer e alerta, não evidenciaram diferença estatisticamente significante entre elas. No Estudo 2, a análise comparativa dos resultados entre a amostra das crianças com síndrome de Möebius com as crianças normais brasileiras e norte-americanas não demonstrou diferença estatisticamente significante, na dimensão prazer e alerta, pois foram semelhantes aos encontrados nas padronizações norte-americana e brasileira. Conclusões: Os padrões normativos brasileiros para crianças com idade entre 10 e 12 anos, de ambos os sexos, são similares aos padrões normativos norte-americanos, nas dimensões prazer e alerta. No estudo comparativo entre gêneros, revelou que as meninas são tão emotivas quanto os meninos, pois expressaram os seus sentimentos e emoções com o mesmo padrão, demonstrando correlações altamente positivas e negativas, nas dimensões prazer e alerta. As crianças com síndrome de Möebius demonstraram reagir subjetivamente aos estímulos visuais com conteúdo emocional do IAPS considerados agradáveis, neutros ou desagradáveis, semelhantes aos padrões normativos brasileiros e norte-americanos, nas dimensões prazer e alerta. E, mesmo não podendo sorrir e expressar emoções faciais, elas puderam demonstrar sentimentos de alegria, felicidade, excitação, raiva, tristeza, medo, calma, ou surpresa, através do SAM. O IAPS mostrou ser um instrumento eficiente na indução de reações emocionais, nas dimensões prazer e alerta, adequado para ser usado no Brasil em crianças com idade entre 10 e 12 anos, de ambos o gênero, uma vez que as fotografias retratavam situações ou fatos do cotidiano..
Palavra-chave Paralisia facial
Emoções
Testes psicológicos
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 95 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 95 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23689

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta