Estudos in vivo e in vitro sobre mecanismos de infeccao por formas metaciclicas do Trypanosoma cruzi

Estudos in vivo e in vitro sobre mecanismos de infeccao por formas metaciclicas do Trypanosoma cruzi

Título alternativo Studies in vivo and in vitro on mechanisms of infection by Trypanosoma cruzi metacyclic forms
Autor Ferreira, Daniele da Soledade Franca Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Yoshida, Nobuko Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Microbiologia e imunologia – São Paulo
Resumo Este estudo teve como objetivo ampliar a compreensão dos mecanismos de invasão celular por tripomastigotas metacíclicos das cepas G e CL de T. cruzi, que diferem marcadamente em sua infectividade in vitro e in vivo. Os nossos dados indicam que a cepa CL, que utiliza a molécula de superfície gp82 para entrar em células epiteliais in vitro e para invadir o epitélio da mucosa gástrica após inoculação oral em camundongos, aciona durante a invasão vias de sinalização envolvendo proteína quinase C e fosfatidil inositol-3 quinase. Na cepa G, que é pouco infectiva e utiliza gp35/50 para a invasão, são ativadas principalmente adenilato ciclase e a proteína quinase dependente de AMP cíclico. Durante a invasão mediada por gp82, as formas metacíclicas da cepa CL induzem a desorganização do citoesqueleto de actina da célula hospedeira, enquanto a cepa G parece estimular o recrutamento de actina. Consistente com esse achado, a invasão celular de tripomastigotas metacíclicos da cepa CL é inibida na presença de Escherichia coli enteroinvasiva (EIEC), que depende da actina do citoesqueleto para entrar em células, ao contrário da cepa G. As moléculas gp35/50 e a gp82 recombinante, purificadas, mostraram efeito antagônico sobre a entrada de EIEC em células, a primeira induzindo o aumento e a segunda inibindo a invasão bacteriana. Esses dados, em conjunto, sugerem que a invasão celular mediada por gp35/50 está associada com eventos de sinalização que favorecem o recrutamento de actina, em contraste àquela dependente de gp82, que envolve a indução de vias de transdução de sinal que resulta em despolimerização de Factina. Um outro fator que pode contribuir para a capacidade infectante de formas metacíclicas é a cruzipaína, a cisteíno protease majoritária do T. cruzi. Ao contrário da cepa G, cuja atividade de cruzipaína não é detectável, as formas metacíclicas da cepa CL expressam cruzipaína, cuja atividade, se inibida, interfere na invasão celular. Com este trabalho, mais alguns passos importantes foram dados para a melhor compreensão do processo de infecção por tripomastigotas metacíclicos das cepas G e CL

This study aimed at further understanding the mechanisms of cell invasion by metacyclic trypomastigotes from Trypanosoma cruzi strains G and CL, whose infectivities differ markedly in vitro and in vivo. Our data indicate that the CL strain parasites, which engage the surface molecule gp82 to invade epithelial cells in vitro and to enter the gastric mucosal epithelium upon oral inoculation into mice, triggers the activation of protein kinase C and phosphatidyl inositol 3-kinase signaling pathways. Conversely, the less infective G strain, which invades cells through gp35/50 molecules, induces the activation of adenylate cyclase and cAMP-dependent protein kinase. During gp82-mediated cell invasion by CL strain metacyclic forms, host cell actin cytoskeleton is disorganized whereas the gp35/50- dependent internalization of G strain involves target cell actin recruitment to the site of entry. Compatible with this finding, cell invasion by CL strain but not G strain metacyclic forms is inhibited in the presence of enteroinvasive Escherichia coli (EIEC), which requires the actin cytoskeleton for invasion. Treatment of cells with gp35/50 increased EIEC entry whereas the recombinant gp82 inhibited bacterial invasion. These data suggest that gp35/50-mediated cell invasion is associated with signaling events that favor actin recruitment, as opposed to gp82-dependent internalization, which triggers signal transduction pathways that lead to F-actin depolymerization. Another factor contributing to the infective ability of CL strain metacyclic forms is cruzipain, the T. cruzi´s major cysteine proteinase, which is undetectable in G strain. Our work provides further important information towards understanding the mechanisms underlying infection by T. cruzi metacyclic trypomastigotes
Palavra-chave Trypanosoma cruzi
Doença de Chagas
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data de publicação 2007
Publicado em FERREIRA, Daniele da Soledade Franca. Estudos in vivo e in vitro sobre mecanismos de infecção por formas metacíclicas do Trypanosoma cruzi. 2007. 152 f. Tese (Doutorado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2007.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 152 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23676

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-23676.pdf
Tamanho: 2.893MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta