Vitiligo: analysis of grafting versus curettage alone, using melanocyte morphology and reverse transcriptase polymerase chain reaction for tyrosinase mRNA

Vitiligo: analysis of grafting versus curettage alone, using melanocyte morphology and reverse transcriptase polymerase chain reaction for tyrosinase mRNA

Título alternativo Vitiligo: análise da área enxertada comparada com curetagem isolada através de morfologia celular e transcriptase reversa da reação de polimerase em cadeia do RNA mensageiro da tirosinase
Autor Machado Filho, Carlos D'Apparecida Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Almeida, Fernando Augusto Autor UNIFESP Google Scholar
Proto, Rodrigo Sestito Google Scholar
Landman, Gilles Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Fundação do ABC Faculdade de Medicina Department of Dermatology
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Hospital do Câncer Treatment and Research Center
Resumo CONTEXT AND OBJECTIVE: Recent studies have indicated that vitiligo areas contain inactive or dormant melanocytes. Melanin synthesis is related to tyrosinase presence and indicative of active metabolic state. The aim of this study was to compare repigmentation, epidermal melanocyte distribution and tyrosinase mRNA detection through reverse transcriptase polymerase chain reaction, in tissue samples of vitiligo, before and after curettage, with or without subsequent autologous skin graft using a new method. DESIGN AND SETTING: Prospective, in the Department of Dermatology, Faculdade de Medicina do ABC, Santo André. METHODS: Two vitiligo areas were curetted. One subsequently received grafted normal sacral autologous skin, whereas the other had no further treatment. The curetted areas were examined after 30 days, to evaluate the degree of repigmentation. The melanocyte percentages and tyrosinase mRNA presence in normal skin and vitiligo areas, before and after curettage and grafting, were compared. RESULTS: Complete repigmentation was seen in all grafted areas, whereas non-grafted curetted vitiligo presented partial repigmentation. The melanocyte percentage in grafted areas was greater than in non-treated vitiligo skin (p = 0.01) and skin with curettage alone (p = 0.015). Tyrosinase mRNA was negative in 93.75% of non-treated vitiligo areas. After treatment (curettage alone or curettage and grafting), all lesions became positive for tyrosinase mRNA. CONCLUSION: Metabolically inactive or dormant melanocytes are probably present within vitiligo areas, and may be activated by exogenous or endogenous stimuli.

CONTEXTO E OBJETIVO: Estudos recentes têm indicado que áreas de vitiligo contêm melanócitos inativos ou dormentes. A síntese de melanina está relacionada com a presença de tirosinase é indicadora de estado metabólico ativo. O escopo deste artigo é comparar repigmentação, distribuição epidérmica de melanócitos e detecção do RNAm de tirosinase através da reação de polimerase em cadeia por transcriptase reversa, em amostras de tecido de vitiligo, antes e após curetagem, seguido ou não por uma nova técnica de enxerto autólogo de pele. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Prospectivo, na Disciplina de Dermatologia da Faculdade de Medicina do ABC, Santo André. MÉTODOS: Duas áreas de vitiligo foram curetadas. Uma foi subseqüentemente enxertada com pele autóloga sacral normal, enquanto a outra não recebeu nenhum enxerto. As áreas curetadas foram examinadas após 30 dias, para avaliar o grau de repigmentação. A porcentagem de melanócitos e a presença de RNAm de tirosinase de pele normal e de pele de vitiligo (antes e após curetagem apenas e antes e após curetagem seguida de enxertia) foram comparadas. RESULTADOS: Repigmentação completa foi observada em todas as áreas enxertadas, enquanto as áreas de vitiligo apenas curetadas apresentaram repigmentação parcial. A porcentagem de melanócitos nas áreas enxertadas excederam as áreas de vitiligo não tratados (p = 0.01) e as áreas tratadas com curetagem simples (p = 0,015). RNAm de tirosinase foi negativo em 93.75% das áreas não tratadas de vitiligo. Após tratamento (somente curetagem ou curetagem seguida de enxerto), todas as lesões tornaram-se positivas para RNAm de tirosinase. CONCLUSÃO: Melanócitos metabolicamente inativos ou dormentes estão provavelmente presentes dentro das áreas de vitiligo, e podem ser ativados por estímulos endógenos ou exógenos.
Palavra-chave Vitiligo
Transplants
Tyrosinase
Polymerase chain reaction
Pathology
Vitiligo
Transplantes
Tirosinase
Reação em cadeia de polimerase
Patologia
Idioma Inglês
Data de publicação 2005-01-01
Publicado em São Paulo Medical Journal. Associação Paulista de Medicina - APM, v. 123, n. 4, p. 187-191, 2005.
ISSN 1516-3180 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Paulista de Medicina - APM
Extensão 187-191
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802005000400006
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1516-31802005000400006 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2366

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-31802005000400006.pdf
Tamanho: 721.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta