Estudo clínico e microbiológico da síndrome hemolítico uremica em unidades de terapia intensiva pediátrica no município de São Paulo

Estudo clínico e microbiológico da síndrome hemolítico uremica em unidades de terapia intensiva pediátrica no município de São Paulo

Título alternativo Clinical and microbiological study of haemolytic uremic syndrome in pediatric intensive care units in São Paulo
Autor Souza, Renato Lopes de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Carvalhaes, João Tomás de Abreu Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A Sindrome Hemolitico-Uremica, causada por Escherichia coli O157:H7 ou outras cepas produtoras de toxina Shiga, e uma das causas mais frequentes de insufiCiência renal aguda em criancas. O objetivo deste trabalho foi verificar a ocorrencia desta patologia em unidade de terapia intensiva pediatrica no municipio de São Paulo, assim como descrever sua evolucao, tratamento, prognostico e mortalidade. Investigar a etiologia, caracterizando sorotipos e toxinas circulantes em nosso meio. Foi realizado um estudo clinico prospectivo observacional, multicentrico, nao controlado e nao randomizado, de janeiro de 2001 a agosto de 2005. Os casos foram comunicados pelos intensivistas pediatricos ou nefrologistas a admissao nas unidades. Uma ficha foi preenchida com informacoes epidemiologicas, clinicas e laboratoriais. Fezes e soro dos pacientes foram coletados, na internacao e apos 15 dias, para realizacao de cultura, pesquisa de sequencias geneticas para stx1, stx2, eae e ehxA, por meio de ensaios de reacao em cadeia de polimerase e pesquisa de anticorpos dirigidos ao LPS 026, O111 e 0157. Treze criancas admitidas em unidade de terapia intensiva no municipio de São Paulo, com prodromos de diarreia e em nove pacientes com sangue nas fezes, foram incluidas no estudo. Oito meninas e cinco meninos, com media de idade de 2a5m (intervalo: 8m a 6a3m). Houve relato de inGestão de leite e queijo nao pasteurizados ou carne crua ou contato com animais, em 69,2 por cento dos casos. Em tres pacientes foram isoladas e identificadas cepas de E. coli produtora de toxina Shiga (STEC), pertencentes aos sorotipos 026:H11, 0157:H7 e 0165:HNM. Em um paciente foi isolado Campylobacter jejuni. Respostas positivas de anticorpos IgM contra LPS 0111 em dois pacientes e IgM contra LPS 0157 em 7 pacientes. 0 agente etiologico ou possibilidade de infecao por STEC foi evidenciado em 92,3 por cento (12/13) dos pacientes com SHU. Este grupo de pacientes 76,9 por cento necessitaram de dialise por oligoanuria, com tempo medio em dialise de 12 dias (intervalo: 6 a 38 dias), hipertensao arterial ocorreu em 61,5 por cento e acometimento neurologico em 30,7 por cento na fase aguda da doenca. 0 tempo medio de...(au)
Palavra-chave Síndrome Hemolítico-Urêmica
Lesão Renal Aguda
Escherichia coli
Toxina Shiga
Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica
Hemolytic-Uremic Syndrome
Acute Kidney Injury
Escherichia coli
Shiga Toxin
Intensive Care Units, Pediatric
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 98 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 98 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23634

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta