Avaliacao do impacto da correcao cirurgica de distopias genitais sobre a funcao sexual feminina

Avaliacao do impacto da correcao cirurgica de distopias genitais sobre a funcao sexual feminina

Título alternativo Imapct of surgery for pelvic organ prolapse on female sexual function
Autor Prado, Daniela Siqueira Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar as repercussoes das cirurgias de correcao de distopia genital sobre a funcao sexual feminina, bem como os resultados anatomicos pos-s¬operatorios e detectar possiveis correlacoes entre eles. Metodos: Foram selecionadas 43 mulheres sexualmente ativas com distopia genital e indicacao de cirurgia de reconstrucao do assoalho pelvico entre outubro de 2004 e setembro de 2006. No pre-operatorio e tres e seis meses apos a cirurgia as pacientes responderam o questionario de avaliacao do comportamento sexual elaborado no Brasil e escalas analogicas para quantificacao do grau de desejo, excitacao e satisfacao com sua vida sexual e submeteram-se a exame fisico, pelo mesmo investigador, para graduacao da distopia genital segundo sistema recomendado pela Sociedade Internacional de Continencia. Resultados: As 43 mulheres completaram o seguimento de tres e seis meses apos a cirurgia, mas duas perderam o parceiro. A frequencia de atividade sexual mensal nao se alterou de forma significativa (5,1 x 5,5, p=0,169), bem como a habilidade para atingir o orgasmo (p=0,150). Houve melhora significativa na qualidade da vida sexual (p=0,034) e das queixas de dispareunia (25,6 por cento no pre-operatorio x 17,1 por cento no pos-¬operatorio), incomodo (27,9 por cento x 0 por cento), embaraco (20,9 por cento x 0 por cento) e medo (2,3 por cento x 0 por cento) (p<O,001). As escalas analogicas de desejo (4,9 ± 2,9 x 6,2 ± 2,7, p=0.001), excitacao (6 ± 2,3 x 7,3 ± 1,8, p<0.001) e satisfacao com a vida sexual (5,2±2,7 x 7±2,5, P <0.001) tambem apresentaram melhora significativa. Todas as pacientes tinham distopia genital com estadios entre II e IV no pre-operatorio. Houve melhora significativa entre os estadios do pre-operatorio e seis meses apos a cirurgia (p<O,001). Entretanto, nao houve correlacao significativa entre as alteracoes nas dimensoes vaginais e a mudanca na funcao sexual. Conclusoes: Ap6s cirurgias de reconstrucao do assoalho pelvico houve melhora significativa na qualificacao da vida sexual e no estadiamento clinico das distopias. No entanto, nao houve correlacao entre eles
Palavra-chave Prolapso Uterino/cirurgia
Sexualidade/fisiologia
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 62 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 62 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23588

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta