História da caracterização nosológica do transtorno bipolar

História da caracterização nosológica do transtorno bipolar

Título alternativo History of the nosologic characterization of bipolar disorder
Autor Porto, Jose Alberto Del Autor UNIFESP Google Scholar
Del-Porto, Kátia Oddone Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The authors review briefly the history of bipolar disorder from Araeteus of Cappadocia to our times. The modern concept of bipolar disorder was built in France, through the work of Falret (1851) and Baillarger (1854). The pivotal concepts of Emil Kraepelin changed the basis of psychiatric nosology, and Kraepelin's unitary concept of manic-depressive insanity was largely accepted. Kraepelin and Weigandt's ideas on mixed states were a cornerstone to this unitary concept. After Kraepelin however, the ideas of Kleist and Leonhard, in Germany, and the work of Angst, Perris and Winokur emphasized the distinction between unipolar and bipolar forms of depression. More recently the emphasis changed again to the bipolar spectrum, which expanded to the borders of the normal temperaments (Akiskal and co-workers). At the end the authors summarize the controversies concerning the nosology of bipolar disorder and its boundaries with schizophrenia, schizoaffective disorders and cycloid psychosis.

Os autores apresentam uma sintética revisão da história da doença bipolar, a partir de Araeteus da Capadócia até os tempos atuais. O conceito moderno de doença bipolar foi iniciado na França, com os trabalhos de Falret (1851) e Baillarger (1856). Os conceitos seminais de Emil Kraepelin mudaram as bases da nosologia psiquiátrica, e o seu conceito unitário a respeito da insanidade maníaco-depressiva foi amplamente aceito e adotado. As idéias de Kraepelin e Weigandt constituíram-se na pedra angular para sua concepção unitária da doença maníaco-depressiva. Depois de Kraepelin, no entanto, as idéias de Kleist e Leonhard, na Alemanha, e o trabalho de Angst, Perris e Winokur enfatizaram a distinção entre as formas unipolar e bipolar da depressão. Mais recentemente a ênfase mudou novamente para o espectro bipolar, que se estende até os limites dos temperamentos normais (Akiskal e colaboradores). Finalizando, os autores sumarizam as controvérsias quanto à nosologia do transtorno bipolar e suas fronteiras com a esquizofrenia, os quadros esquizoafetivos e as chamadas psicoses ciclóides.
Palavra-chave Bipolar disorder
bipolar spectrum
history
mixed states
mood disorders
schizoaffective disorders
cycloid psychosis
Transtorno bipolar
espectro bipolar
estados mistos
história
transtornos do humor
transtorno esquizoafetivo
psicoses ciclóides
Idioma Português
Data de publicação 2005-01-01
Publicado em Archives of Clinical Psychiatry. Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, v. 32, p. 7-14, 2005.
ISSN 0101-6083 (Sherpa/Romeo)
Publicador Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Extensão 7-14
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832005000700002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0101-60832005000700002 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/2352

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0101-60832005000700002.pdf
Tamanho: 106.7KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta