Caracterização dos efeitos eletrofisiológicos cardíacos da intoxicação alcóolica aguda em cães anestesiados com coração normal

Caracterização dos efeitos eletrofisiológicos cardíacos da intoxicação alcóolica aguda em cães anestesiados com coração normal

Título alternativo Characterization of the cardiac electrophysiologic effects of acute intoxication alcoholic in anesthetized dogs with normal hearts
Autor Balbao, Carlos Eduardo Bissolli Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador De Paola, Angelo Amato Vincenzo Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Introdução: O alcool tem sido relacionado a arritmias, principalmente atriais (Holiday Heart Syndrome), porem seus reais efeitos eletrofisiologicos permanecem desconhecidos. Metodos: Nos avaliamos os efeitos do etanol em 23 caes anestesiados no basal e apos 2 doses cumulativas endovenosas de alcool anidro ou solucao salina no grupo controle: primeira dose 1,5 ml/kg (nivel plasmatico de 200 mg/dl), segunda dose de 1,0 ml/kg (279 mg/dl) que correspondem respectivamente a uma intoxicacao alcoolica aguda moderada e severa. Os caes foram divididos em 05 grupos: Grupo I - Grupo Etanol com torax fechado, sem bloqueio autonomico (n=5); Grupo 11 - Grupo Controle (n=3) com torax fechado no qual foi infundida solucao salina em vez de etanol; Grupo 111 - Grupo Etanol com torax fechado e bloqueio autonomico completo (n=5), Grupo IV - Grupo Etanol com torax fechado, sem bloqueio autonomico, avaliacao da fracao de ejecao do ventriculo esquerdo pelo ecocardiograma e coleta de tecido atrial para analise histologica e ultraestrutural (n=5) e Grupo V - Grupo Etanol sem bloqueio autonomico, torax aberto e mapeamento epicardico biatrial (n=5). Foram avaliadas variaveis hemodinamicas, eletrocardiograficas e eletrofisiologicas. O potencial de acao monofasico foi registrado em atrio direito alto nos grupos I, II e 111. No grupo IV foi feita avaliacao da funcao ventricular esquerda e coleta de tecido atrial para microscopia optica e eletronica. No grupo V o torax foi aberto e foi colocada uma placa com 6 pares de eletrodos bipolares ao longo do feixe de Bachmann. Resultados: nos grupos I, 11 e 111 o etanol nao alterou significativamente as variaveis hemodinamicas, eletrocardiograficas e eletrofisiologicas. No grupo V (torax aberto e mapeamento epicardico biatrial) o etanol nao afetou o tempo de conducao interatrial, a velocidade de conducao nem o comprimento de onda. Em nenhum grupo foram induzidas arritmias atriais ou ventriculares. A analise histologica e ultraestrutural foi normal em todos os 5 animais do grupo IV. A fracao de ejecao, tambem avaliada no grupo IV, diminuiu significantemente com a dose cumulativa de etanol (77vs73vs66 por cento; p=O,04). Conclusao: Etanol em doses moderadas e severas diminuiu a fracao de ejecao do ventriculo esquerdo, porem nao alterou os parametros eletrocardiograficos, eletrofisiologicos, histologicos e ultraestruturiais estudados, nem induziu arritmias, sugerindo que a intoxicacao alcoolica aguda nao promove diretamente arritmias atriais
Palavra-chave Etanol
Intoxicação alcoólica
Fibrilação atrial
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 111 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 111 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23473

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta