Avaliacao farmacologica e prospeccao fitoquimica de tres diferentes plantas com possivel efeito ansiolitico

Avaliacao farmacologica e prospeccao fitoquimica de tres diferentes plantas com possivel efeito ansiolitico

Título alternativo Pharmacological activities and phytochemical prospection of three plant species seemingly possessing anxiolytic
Autor Santi, Daniel de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A ansiedade e uma psicopatologia que tem crescido em escala alarmante nas ultimas decadas sendo que os medicamentos (benzodiazepinicos) utilizados para combater ou amenizar seus sintomas produzem efeitos colaterais indesejados. Uma riquissima fonte de dados e a cultura popular, de onde podemos tirar diversas plantas medicinais para acalmar os nervos ou entao para dormir mais facil. Atraves de estudos etnofarmacologicos e bibliograficos, foram selecionadas tres plantas com um alegado efeito ansiolitico/hipnotico: Humulus lupulus, Tilia cordata e Siparuna guianensis, e, atraves de testes farmacologicos e fitoquimicos, tentamos confirmar seus usos populares. Os testes farmacologicos gerais foram: triagem farmacologica inicial, determinacao de toxicidade aguda, teste de coordenacao motora (rota-rod), teste de atividade locomotora e tempo de sono induzido pelo pentobarbital sadico, enquanto os testes especificos foram o labirinto em cruz elevado e o teste de neofobia. Para a caracterizacao fitoquimica, utilizamos a cromatografia em camada delgada e cromatografia liquida de alta efiCiência para a prospeccao de taninos, alcaloides, saponinas, flavonoides, triterpenos e lignanas. Os resultados mostraram que nenhuma das plantas apresentou toxicidade ou alterou a coordenacao motora dos animais, porem, o H. lupulus aumentou o tempo total de sono induzido pelo pentobarbital sodico em uma das doses (500mg/kg) dos animais tratados e a S. guianensis diminuiu a atividade locomotora dos animais em todas as doses utilizadas. Nos testes farmacologicos especificos, todas as plantas aumentaram significativamente o tempo de permanencia nos bracos abertos do LCE, sendo a S. guianensis de forma dose-dependente, porem o H. lupulus e a T. cordata apresentaram um efeito menos intenso e nao dose-dependente. No teste de neofobia, as tres plantas tambem aumentaram significativamente a ingesta de novo alimento pelos animais, sendo que a S. guianensis foi a mais intensa e significativamente superior ao H. lupulus e T. cordata. Esses resultados confirmaram o efeito atribuido pela populacao. Quanto a prospeccao...(au)
Palavra-chave Farmacologia
Ansiedade
Plantas Medicinais
Sistema Nervoso Central
Idioma Português
Data de publicação 2006
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2006. 91 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 91 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23465

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta