Evolução da aptidão física e capacidade funcional de mulheres ativas acima de 50 anos de idade de acordo com a idade cronológica na cidade de Santos

Evolução da aptidão física e capacidade funcional de mulheres ativas acima de 50 anos de idade de acordo com a idade cronológica na cidade de Santos

Título alternativo Evolution of physical fitness and functional capacity in active elderly women over 50 years of age according to chronological age in Santos city
Autor Penha, José Carlos Lopes Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Barros Neto, Turíbio Leite de Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: O presente estudo teve como objetivo analisar a evolucao da aptidao fisica e capacidade funcional de mulheres ativas de tres faixas etarias durante um ano. Material e Metodos: A amostra consistiu de 78 mulheres de 50 a 79 anos de idade (x:62,4±7,1 anos), organizadas em tres grupos, de acordo com a faixa etaria: A: 50-59 (n: 38); B: 60-69 (n: 28); C: 70-79 (n: 12). As mulheres ja participavam de um programa de exercicios aerobicos de baixo impacto e de alongamento, duas vezes por semana, 50 minutos por sessao, durante 3,4 anos. As variaveis antropometricas mensuradas foram: peso corporal, estatura corporal total, indice de massa corporal, adiposidade (media de triceps, subescapular e supra-iliaca), circunferencia do braco (CB) e da perna (CP), circunferencia da cintura e do quadril e relacao cintura/quadril (RCQ). Os testes, metabolico, neuromotores, de mobilidade, densidade ossea e nivel de depressao, incluiram: endurance aerobica (marcha estacionaria), forca muscular dos membros inferiores e superiores, agilidade, flexibilidade do tronco, velocidade de levantar da cadeira, levantar da cadeira em 30 segundos, equilibrio estatico, velocidade normal de andar, velocidade maxima de andar, densitometria ossea e questionario para medir o nivel de depressao. Os resultados foram comparados usando, ANOVA Two Way, com post-hoc Bonferroni e delta percentual (*p<0,01). Resultados: Durante o periodo de um ano, a gordura corporal diminuiu em torno de 6,5 por cento, somente no grupo A, a RCQ se manteve em 0,8 por cento, no grupo A, e 0,9 por cento, nos grupos B e C; a CB e CP aumentaram nos tres grupos, e o grupo A, evidenciou diferenca significativa. Em relacao ao desempenho neuromotor, a velocidade de levantar da cadeira evidenciou diferenca significativa nos tres grupos, apresentando resultados melhores de -14,3 por cento a -45,5 por cento, na velocidade de andar, houve melhora significativa nos grupos A e B (-12,1 por cento a -13,9 por cento) e na maxima de andar (-15,4 por cento a -18,5 por cento). A flexao de cotovelo evidenciou aumento significativo em todos os grupos (18,9 por cento a 24,1 por cento); a impulsao vertical aumentou significativamente (22,5 por cento a 43,9 por cento) nos grupos B e C e o levantar da cadeira em 30 segundos evidenciou aumento significativo de 25,2 por cento a 30,8 por cento nos grupos A e B; o teste da flexibilidade evidenciou aumento significativo no grupo A, que variou de 16,2 por cento a 33,3 por cento. A marcha estacionaria aumentou significativamente nos tres grupos de 16,4 por cento a 30,0 por cento. A depressao diminuiu significativamente nos tres grupos (16 por cento a 30 por cento), em relacao a primeira avaliacao, e a densitometria ossea evidenciou ganho significativo de massa ossea de 3,1 por cento a 10,2 por cento. Conclusoes: Os resultados sugerem que a evolucao da aptidao fisica e da capacidade funcional, o aumento na densidade mineral ossea e a diminuicao na depressao em mulheres fisicamente ativas dos 50 aos 79 anos, em um periodo de um ano, tem um comportamento similar. Apesar das inevitaveis consequencias do envelhecimento, existe a possibilidade de modificar fisiologicamente este processo, por meio de um programa de exercicios apropriados e medidas preventivas de Saúde. Desta forma, num individuo que possui um estilo de vida ativa e um elevado nivel de aptidao fisica, diminui o risco de perda da funcao e, consequentemente, retarda a dependencia fisica
Palavra-chave Mulheres
Idoso
Aptidão física
Densidade óssea
Depressão
Idioma Português
Data de publicação 2006
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2006. 178 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 178 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23460

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta