Estudo histopatológico e imuno-histoquímico da úlcera resultante de vuretagem e eletrofulguração de carcinomas basocelulares

Estudo histopatológico e imuno-histoquímico da úlcera resultante de vuretagem e eletrofulguração de carcinomas basocelulares

Título alternativo The histopathological and immunohistochemical study of the resultant ulcer of curettage and electrofulguration of basal cell carcinoma
Autor Lopes Filho, Lauro Lourival Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Alchorne, Alice de Oliveira de Avelar Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar histopatologicamente a persistencia de celulas tumorais na lesao resultante de 2 ciclos de curetagem e eletrofulguracao de carcinomas basocelulares. Metodos: Foram estudados 40 pacientes portadores de carcinomas basocelulares primarios, de baixo risco de recidiva, com diametros de ate 1 cm quando localizadas na face e de ate 1,5 cm quando em outras localizacoes. As lesoes foram submetidas a 2 ciclos de curetagem e eletrofulguracao e a ulcera resultante foi imediatamente excisada e dividida em quadrantes para estudo histopatologico. Para cada paciente foram confeccionadas 5 laminas, sendo uma de cada quadrante e uma do material curetado do tumor. As 200 laminas foram estudadas com a coloracao hematoxilina-eosina (HE) e as 100 primeiras delas tambem por imuno¬histoquimica com o anticorpo monoclonal Ser EP4. Resultados: Com ambas as coloracoes, confirmou-se tratar-se de carcinoma basocelular pelo estudo do material curetado do tumor. Foi observado que em sete casos (17,5 por cento) havia persistencia de tecido tumoral, sendo seis (15 por cento) em um dos quadrantes (casos 1, 3, 9, 19, 25 e 39) e um (2,5 por cento) nos quatro quadrantes (caso 18). Os casos de persistencia de celulas tumorais foram detectados pela coloracao HE e apenas confirmados pela coloracao imuno-histoquimica com Ser-EP4. Apesar da persistencia tumoral nos sete casos, a analise histopatologica mostrou que os restos tumorais foram completamente excisados quando da remocao da ulcera resultante. Conclusoes: Houve a persistencia de restos tumorais em 7 casos (17,5 por cento), sendo que em 6 (15 por cento) essa persistencia ocorreu em apenas um dos quadrantes avaliados e em 1 (2,5 por cento) nos quatro quadrantes. Esses resultados sao aproximadamente similares aos encontrados em outros estudos que utilizaram curetagem e eletrocoagulacao e alertam para a possibilidade relativamente elevada (17,5 por cento) de persistencia tumoral utilizando-se essas tecnicas
Palavra-chave Dermatologia
Cirurgia geral
Neoplasias cutâneas
Imuno-histoquímica
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 82 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 82 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23452

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta