Análise do músculo masseter por ressonância magnética-morfologia e espectroscopia de hidrogênio em pacientes com esclerose sistêmica

Análise do músculo masseter por ressonância magnética-morfologia e espectroscopia de hidrogênio em pacientes com esclerose sistêmica

Título alternativo Magnetic resonance imaging analysis of the masseter muscle-morpholoy and proton spectroscopy in subjects with systemic sclerosis
Autor Marcucci, Marcelo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Abdala, Nitamar Autor UNIFESP Google Scholar
Pós-graduação Medicina (radiologia clínica) - São Paulo
Resumo Objetivo: Avaliar o músculo masseter em indivíduos portadores de esclerose sistêmica (ES), por meio da ressonância magnética, analisando a intensidade dos sinais em T1, T2 e a morfologia. Detectar, por meio da espectroscopia de hidrogênio, as alterações das concentrações de creatina, colina, lipídio e lactato no masseter, e relacionar com a presença de osteólise mandibular. Investigar as relações entre a osteólise mandibular com alguns parâmetros clínicos. Métodos: Foram selecionados 25 pacientes, 15 com diagnóstico de ES e 10 indivíduos normais: os pacientes com foram agrupados de acordo com a presença (grupo I) ou ausência (grupo II) de osteólise de mandíbula. Os indivíduos normais perfizeram o controle (grupo III). Todos foram submetidos a exame de ressonância magnética, em aparelho Siemens modelo Sonata®, com campo magnético de 1,5T e gradiente de 40mT, onde foram adquiridas seqüências TSE ponderadas em T2 no plano coronal e T1 no plano axial, com e sem supressão de gordura; a concentração dos me tabólitos foi avaliada pela espectroscopia de prótons com técnica PRESS e aquisição tridimensional. Resultados: Não houve diferença entre o sinal T1 de RM nos grupos I e II (p=0,295). O grupo II apresentou maior intensidade do sinal T2 em relação ao grupo III (p=0,033), porém não houve diferença em relação ao grupo I. O estudo dos metabólitos dos três grupos apresentou os mesmos valores absolutos de creatina (p=0,424) e lipídio (p=0,966), enquanto que os pacientes do grupo I apresentar am maior quantidade de colina em relação ao grupo III (p=0,108). Já os grupos I e II apresentaram menor quantidade de lactato em relação aos indivíduos normais (p=0,001). Os índices creatina/ lipídio (p=0,314) e colina/ lactato (p=0,790) foram estatisticamente os mesmos em todos os grupos. Por outro lado, os demais índices mostraram variações significantes, a saber: creatina/ colina (p<0,001), creatina/ lactato (p=0,019), lipídio/ lactato (p=0,005) e colina/ lipídio (p=0,004). O estudo morfológico mostrou que grupos I e II apresentaram mais atrofia (p=0,004), substituição gordurosa (p=0,018) e morfologia retificada (p=0,017) em relação aos indivíduos normais, porém não existiu diferença de simetria entre os normais e os doentes (p=0,236). O grupo I apresentou maior tempo de doença em relação ao grupo II (p=0,003). Os grupos I e II apresentaram a mesma abertura média de boca. Existe uma correlação crescente entre abertura de boca e tempo de doença no grupo I (p=0,095), que não ocorre no grupo II (p=0,596). Não houve relação entre a presença de dentes e a presença de osteólise (p>0,999), e entre a presença de dentes e o lado da osteólise (p=0,143). Conclusão: O masseter está afetado nos pacientes com ES, independente da presença ou não da osteólise. Em relação aos metabólitos, observamos menor quantidade de lactato, enquanto que a colina mostrou-se aumentada na osteólise. A osteólise parece se desenvolver em pacientes com maior tempo de doença, porém não modificou no grau de abertura bucal em relação aos pacientes sem osteólise, e a presença de dentes não foi significante. Por outro lado, nos casos de osteólise, quanto maior o tempo de doença maior a abertura bucal.

Objective: to evaluate the masseter muscle in systemic sclerosis (SS) patients by magnetic resonance (MR), regarding the intensity of T1 and T2 tissue signal and the morphology; to detect, by the proton magnetic resonance spectroscopy, the abnormalities of the creatine, choline, lipids and lactate’s concentration in the masseter, and correlate with the mandibular osteolysis; to investigate the correlations of the mandibular osteolysis with some clinical findings. Methods: 25 subjects were selected, 15 with PSS diagnosis and 10 healthy controls. The patients were gathered in concordance with the presence (group I) or absence (group II) of the mandibular osteolysis. The healthy subjects performed the control (group III). All of them were submitted of the magnetic resonance scan, on a 1,5T MR imager Siemens Sonata®, 40mT gradient, and images were obtained in T2 coronal scans and T1 axial scan, with and without fat suppression technique. The metabolits concentration were evaluated by the proton magnetic resonance spectroscopy with PRESS technique and tridimensional acquisition. Results: the study showed no difference between MR T1 signal in the groups I and II (p=0,295). The group II showed increased of MR T2 signal regarding group III (p=0,033), but there was no difference by group I. The metabolic study of the three groups showed the same absolute values of the creatine (p=0,424) and lipids (p=0,966), whereas the group I subjects showed high content of choline regarding the group III (p=0,108). The groups I and II showed low content f the lactate regarding the healthy subjects (p=0,001). The creatine/lipid ratio (p=0,314 ) and choline/lactate ratio (p=0,790) were the same in all groups. Otherwise, the others ratios showed variations: creatine/choline (p<0,001), creatine/lactate (p=0,019), lipid/lactate (p=0,005) and choline/lipid (p=0,004). The morphological analysis showed more atrophy in the groups I and II (p=0,004), fatty replacement (p=0,018) and ratified morphology (p=0,017) regarding the healthy subjects, but there was no difference about symmetry among the diseases and healthy group (p=0,236). The group I showed more duration of disease regarding the group II (p=0,003). The groups I and II showed the same mouth opening. There is a correlation among mouth opening and duration of disease in the group I (p=0,095), this result was not observed in the group II (p=0,596). There was no correlation among the absence of the teeth and osteolysis (p>0,999), and among the absence of the teeth and side of the osteolysis (p=0,143). Conclusions: the masseter was affected in SS patients, and it no depends of the osteolysis. Regarding the metabolic changes, we observed low concentration of lactate and high concentration of choline in osteolysis’ patients. The osteolysis seems to develop in more duration of disease patient, but did not modified the mouth opening regarding patients without osteolysis, and the presence of the teeth was not signified. Otherwise, in the osteolysis subjects, we observed that if more duration of disease, more mouth opening.
Palavra-chave Escleroderma Sistêmico
Esclerodermia Difusa
Músculo Masseter
Espectroscopia de Ressonância Magnética
Análise Espectral
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em MARCUCCI, Marcelo. Análise do músculo masseter por ressonância magnética-morfologia e espectroscopia de hidrogênio em pacientes com esclerose sistêmica. 2007. 89 f. Tese (Doutorado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2007.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 89 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23412

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-10310.pdf
Tamanho: 1.683MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta