Comparação do volume pulmonar fetal por meio da ultra-sonografia bidimensional e tridimensional

Comparação do volume pulmonar fetal por meio da ultra-sonografia bidimensional e tridimensional

Título alternativo Comparison of fetal lung volume by two- and three-dimensional ultrasonography
Autor Araujo Junior, Edward Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Nardozza, Luciano Marcondes Machado Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Comparar os metodos bidimensional, multiplanar e VOCALO no calculo do volume pulmonar fetal, avaliar a reprodutibilidade intraobservador, obter uma nova constante a ser incorporada a equacao bidimensional e aplicar a equacao recalculada em fetos com comprovada hipoplasia pulmonar pos-natal. Metodos: Realizou-se um estudo de corte transversal com 51 gestantes normais entre 20 a 35 semanas. Para o calculo do volume pulmonar fetal pelo metodo bidimensional, utilizou-se a formula da elipsoide (X*Y*Z*0,52). Com o metodo multiplanar, utilizou-se uma sequencia de multiplos planos com intervalos de 2,0 mm. Para o metodo VOCALO, utilizou-se angulo de rotacao em 30°. Na comparacao das tecnicas e avaliacao da reprodutibilidade intraobservador, utilizou-se o coeficiente de correlacao intraclasse (ricc), o teste T-Student (pt*) e os graficos de Bland-¬Altman. Para a determinacao de uma nova constante, utilizou-se regressoes lineares de primeira ordem, sendo que o volume pulmonar tridimensional se portou como variavel dependente e a idade gestacional e o volume bidimensional como variaveis independentes. De forma a se validar a nova equacao, esta foi aplicada em 11 fetos com comprovada hipoplasia pulmonar letal. Resultados: Os metodos multiplanar e VOCALO mostraram-se fortemente correlacionados (ricc= 0,943 e 0,940 para os pulmoes direito e esquerdo, respectivamente), alem de concordantes, tanto o direito (pt*=0,061) quanto o esquerdo (pt*=O,202). Os volumes medios obtidos pelo metodo bidimensional mostraram-se superestimados tanto em relacao ao metodo multiplanar (23,87 mL x 18,26 mL pt*<O,OO1 e 16,18 x 14,33 mL pt*=0,008; para o pulmao direito e esquerdo, respectivamente), quanto pelo VOCALO (24,02 mL x 16,3 mL pt*<O,001 e 19,15 ml X 13,77 mL pt*=0,002; para o pulmao direito e esquerdo, respectivamente). Em relacao a variabilidade intraobservador, as tecnicas multiplanar (pt*= 0,64) e VOCALO (pt*= 0,22) mostraram boa reprodutibilidade para o pulmao direito, ao contrario do metodo bidimensional (pt*= 0,31). Para o pulmao esquerdo, as tres tecnicas mostraram boa reprodutibilidade (bidimensional pt*= 0,57; multiplanar pt*= 0,43 e VOCALO pt*= 0,63). Por regressao polinomial de primeira ordem, obteve-se uma nova constante para o pulmao direito (0,152) e para o pulmao esquerdo (0,167). Em relacao a formula nao recalculada, a nova equacao apresentou maior sensibilidade (18,1 por cento) na predicao de hipoplasia pulmonar letal. Conclusoes: Os metodos multiplanar e VOCALO mostram-se adequados para a avaliacao do volume pulmonar de fetos normais. A equacao bidimensional recalculada de calculo do volume pulmonar fetal mostra-se como alternativa promissora a ultra-sonografia tridimensional na predicao de hipoplasia pulmonar
Palavra-chave Feto
Diagnóstico pré-natal
Ultrassom
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 93 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 93 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23393

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta