Estudo das mutacoes nos fatores II e V de coagulacao em abortos

Estudo das mutacoes nos fatores II e V de coagulacao em abortos

Título alternativo Study of factor II and V mutation in abortion
Autor Proite, Mariana Maaz Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: Analisar a prevalencia da mutacao do fator V Leiden e do polimorfismo no gene da protrombina em material de abortamento e; correlacionar as alteracoes moleculares dos genes do Fator Veda protrombina (fator 11) com abortos citogeneticamente normais e alterados. Metodos: Foram incluidas nesse estudo 247 amostras de aborto espontaneo. Os abortos foram classificados como isolados, quando a amostra estudada correspondia ao 1° aborto da paciente, e habituais quando a amostra correspondia ao 2° ou mais abortos da paciente. Esses abortos foram cariotipados segundo a padronizacao do laboratorio de Citogenetica do Centro Paulista de Medicina Fetal. O DNA foi extraido das amostras de aborto e genotipadas para o Fator V de Leiden e para o polimorfismo no gene da protrombina segundo padronizacao de Bertina et al. (1994) e Poort et al. (1996) respectivamente. Resultados: As amostras foram separadas em grupos (Aborto Isolado Norma!, Aborto Isolado Alterado, Aborto Habitual Norma! e Aborto Habitual Alterado'). Realizou-se comparacao da frequencia dos polimorfismos entre os diferentes grupos. O Fator V de Leiden chegou proximo aos niveis de significancia nos grupos citogenticamente normais em duas comparacoes: Abortos Normais versus Abortos Alterados (p=O,08) e Abortos Habituais Normais versus Abortos Alterados (p=O,048). Quanto ao polimorfismo no gene da protrombina, esse nao alcancou os niveis de significancia em nenhuma das analises, embora esse polimorfismo esteja mais frequente nos grupos citogeneticamente normais. Foi realizada uma analise considerando a presenca ou ausencia de pelo menos um dos polimorfismos em estudo. A frequencia de polimorfismos nesse novo grupo foi visivelmente maior nos abortos normais do que nos alterados em tres comparacoes: Abortos Normais versus Abortos Alterados (p=O,014), Abortos Habituais Normais versus Abortos Habituais Alterados (p=O,018) e Abortos Alterados versus Abortos Habituais Normais (p=O,01). Conclusoes: A avaliacao do Fator V de Leiden e do polimorfismo no gene da protrombina foi realizada com sucesso na maior parte das amostras de aborto. O Fator V de Leiden foi mais frequente em abortos citogeneticamente normais, mostrando provavel implicancia na genese de tais abortos. Quanto ao polimorfismo no gene da protrombina, os resultados nao chegaram proximos aos niveis de significancia, mas com tal polimorfismo foi mais frequente em abortos citogeneticamente normais, concluimos que esses resultados deveriam ser comprovados em trabalhos envolvendo um numero maior de individuos. Analisando ambos os polimorfismos concomitantemente, concluimos que tais alteracoes estejam associadas a fisiopatologia dos abortos, uma vez que foram significantemente maior em abortos citogeneticamente normais comparados com os alterados. E necessario um estudo que envolva uma casuistica maior, com triagem citogenetica previa dos abortos, para confirmar o real papel das alteracoes em fatores de coagulacao na genese dos abortamentos
Palavra-chave Aborto Espontâneo
Fator V
Protrombina
Citogenética
Aberrações Cromossômicas
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 73 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 73 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23384

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta