Estudo clinico do efeito da higiene oral com digluconato de clorexidina a 0,12% na coonizacao orofaringea de criancas em cuidados intensivos

Estudo clinico do efeito da higiene oral com digluconato de clorexidina a 0,12% na coonizacao orofaringea de criancas em cuidados intensivos

Título alternativo Clinical trial of oral care effect with 0,12% chlorexidine diglucone on oropharyngeal colonization of children in critical care
Autor Kusahara, Denise Miyuki Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A presenca de microorganismos patogenicos na orofaringe associa-se com a ocorrencia de afeccoes sistemicas. Praticas de higiene oral, com vistas ao controle da colonizacao deste sitio, podem prevenir infeccoes em pacientes adultos submetidos a ventilacao pulmonar mecanica (VPM). Este estudo objetivou verificar a influencia da higiene oral realizada com digluconato de clorexidina a 0,12 por cento no padrao de colonizacao e reacao a antibioticos de microorganismos da orofaringe de criancas em cuidados intensivos, bem como, no tempo de utilizacao de VPM e de internacao em Unidade de Cuidados Intensivos Pediatricos (UCIP). Trata-se de estudo clinico, prospectivo e randomizado, realizado em uma UCIP de um hospital universitario, apos aprovacao do comite de etica em pesquisa. Uma amostra de 56 criancas foi aleatoriamente distribuida no Grupo Controle - GC (intervencao mecanica) e Grupo Experimental - GE (intervencao mecanica e farmacologica), apos obtencao de consentimento para participacao na pesquisa. Estudou-se a acao da variavel independente sobre variaveis complementares, da analise microbiologica (culturas de secrecao de orofaringe com 24, 48 e 96 horas de internacao e alta da UCIP) e dependentes, por meio de testes estatisticos, fixando-se em 5 por cento o nivel de rejeicao da hipotese da pesquisa: o padrao de colonizacao por patogenos da orofaringe de criancas em cuidados intensivos apresenta variacao, mediante a realizacao da higiene oral com digluconato de clorexidina a 0,12 por cento. Os resultados obtidos apontaram a rejeicao da hipotese, pois o padrao de colonizacao por microorganismos patogenos e sua reacao a antibioticos foi estatisticamente semelhante nas 29(51,8 por cento) criancas do GC e nas 27(48,2 por cento) do GE. Compuseram a amostra, majoritariamente, criancas pre-escolares, do sexo masculino, cor da pele branca, eutroficas, ou sem alteracoes na condicao clinica da cavidade oral e da arcada dentaria . As variaveis complementares e de analise microbiologica apresentaram distribuicao homogenea entre os grupos de estudo, excecao feita a demanda de cuidados de enfermagem que foi a admissao significantemente maior (p=O,035) no Gc. Os patogenos Staphylococcus aureus, Klebsiella pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Acinetobacter baumanii, Enterobacter spp, Escherichia coZi, Proteus mirabillis, Klebsiella oxytoca, Pseudomonas stutezeri e Morganella morganii foram isolados. O efeito da intervencao na reducao, aumento ou nao alteracao do numero de patogenos isolados nas diferentes fases de coleta de cultura nao demonstrou diferenca, entretanto, no periodo entre 24 e 48 horas observou-se um possivel controle da proliferacao bacteriana (p=0,053) no GE. Nao se verificou influencia estatisticamente significante da intervencao no tempo de VPM (p=0,670) e de internacao na UCIP (p=0,218)
Palavra-chave Higiene Bucal
Clorexidina
Enfermagem Pediátrica
Terapia Intensiva
Idioma Português
Data de publicação 2006
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2006. 129 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 129 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23373

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta