O aluno negro na graduação de enfermagem: perfil e opiniões sobre as cotas

O aluno negro na graduação de enfermagem: perfil e opiniões sobre as cotas

Título alternativo The back student in nursing graduation program: profile and opinions about cotas system
Autor Freitas, Pedro Fernandes Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Goldenberg, Paulete Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Ensino em Ciências da Saúde – São Paulo
Resumo Ao estudar a historia e a organizacao profissional da enfermagem, a qual mantem ate hoje, as caracteristicas basicas da cisao entre o saber e o fazer, tive a intencao de compreender a insercao do homem (aluno) negro num universo, ainda hoje, predominantemente feminino. A partir desse interesse, tive como objetivos situar sua presenca no curso de enfermagem no ambito do ensino superior em São Paulo; caracterizar o perfil socio-economico e identificar os motivos associados a escolha do curso de enfermagem em uma instituicao publica e uma privada; assim como identificar a opiniao destes em relacao a adocao de cotas. A presente investigacao, em carater exploratorio, teve como fontes secundarias: o Censo Demografico do Brasil-IBGE/1991; o Censo Escolar - 2001/2002/2003 do MEC/INEP e Dados Cadastrais dos cursos de graduacao superior (presenciais) de enfermagem no Brasil, no Estado de S. Paulo e no municipio, obtidos junto ao MEC/INEP/EDUDA T ABRN2005. A populacao do estudo foi feita pelo o universo de alunos matriculados no ano de 2004, distribuidos pelas quatro series, caso da Unifesp, e pelos oito periodos, caso do UniFMU, fixados, neste caso, os alunos matriculados no primeiro semestre do mesmo - independentemente do ano de ingresso. O estudo contou, com o instrumento de coleta de dados, um questionario aplicado a vinte e seis alunos no total; vinte e cinco junto aos alunos do UniFMU e um ao aluno da Unifesp. A apresentacao e analise dos resultados envolveram a realizacao de uma abordagem quantitativa e qualitativa que atendia as questoes abertas e fechadas que integraram o questionario. Os resultados obtidos das analises indicaram a presenca masculina em torno de 16,7 por cento do conjunto de matriculados em São Paulo em 2002 quando nao havia nenhum aluno em 1991. Aumentou tambem a proporcao de homens no UniFMU (17,8 por cento) em 2004 e manteve-se estabilizado no Unifesp (7,6 por cento). A escolha da enfermagem foi apontada como expectativa de ascensao profissional e o carater compensador da titulacao universitaria em termos salariais. A questao social e economica combinada com a questao racial, delineada pelo acumulo de desvantagens ao longo de geracoes, sinalizaram para maiores chances de ingresso na Enfermagem em relacao a outros cursos. As opinioes dos alunos quanto as cotas nao foram consensuais. Mais da metade foi favoravel a sua implantacao no ensino publico e, proporcao inferior, colocou-se favoravel a sua extensao ao ensino privado
Palavra-chave Enfermagem
Afro-Americanos
Educação Superior
Preconceito
Idioma Português
Data de publicação 2005
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2005. 110 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 110 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23369

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta