Diagnostico de obstrucao de vias aereas pela relacao VEF1/VEF6 comparada a relacao VEF1/CVF em um estudo brasileiro de base populacionla - platino

Diagnostico de obstrucao de vias aereas pela relacao VEF1/VEF6 comparada a relacao VEF1/CVF em um estudo brasileiro de base populacionla - platino

Título alternativo Airway obstruction diagnosis by VEF1/VEF6 compared to VEF1/FVC in a Brazilian population based study-platino
Autor Camelier, Fernanda Warken Rosa Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar o quanto a relacao VEF1/VEF6 e equivalente como um indice de deteccao de obstrucao de vias aereas, comparando com a relacao fixa VEF1/CVF < 0,70 e o limite inferior da normalidade (UN) em uma subamostra randomizada do estudo Platino (dados brasileiros), e testar a reprodutibilidade do VEF6 e da relacao VEF1/VEF6 comparando a CVF e a relacao VEF1/CVF, respectivamente. Material e metodos: Foi realizado um estudo descritivo, de corte transversal e de base populacional, a partir de uma amostra representativa de moradores da regiao metropolitana de São Paulo, de idade igualou superior a 40 anos. As medidas de espirometria foram obtidas com um espirometro portatil (EasyOne TM; Medical Techno/ogies, Chelmsford, Massachusetts and Zurich, Switzerland). O diagnostico de obstrucao de vias aereas foi definido pela relacao VEF1/CVF < 0,70 pos¬broncodilatador (pos-BO) e abaixo do UN, de acordo com as equacoes de referencia do estudo Platino. Curva ROC, sensibilidade, especificidade, valores preditivo positivo e negativo foram analisados para avaliar o desempenho da relacao VEF1/VEF6. Resultados: Apos a inclusao de 1000 sujeitos, foram avaliados dados de 963 e 918 espirometrias pre e pos-BO, respectivamente. A maioria das curvas pos-BO (93,1 por cento) alcancou excelente qualidade com grau A (762 provas) e B (93), segundo classificacao do LHS. Houve alta associacao entre VEF1/VEF6 e VEF1/CVF (~ = O, 92, P < 0,0001). Para a analise de acuracia da relacao VEF1/VEF6 em comparacao a VEF1/CVF, foram realizadas curvas ROC. Para o ponto de corte fixo VEF1/CVC <0,70, a area sob a curva foi 0.98 (p<0,0001) e para o UN foi 0,97 (p<0,0001), nas provas pos-BO. De acordo com a relacao VEF1/CVF, o ponto de corte para a relacao VEF1/VEF6 com a maior soma da sensibilidade e especificidade foi 0,75. Conclusao: A VEF1/VEF6 pode ser considerada uma boa alternativa para substituir a VEF1/CVF no diagnostico de obstrucao de vias aereas, utilizando um ponto de corte fixo ou valores abaixo do limite inferior da normalidade
Palavra-chave Espirometria
Estudos Populacionais em Saúde Pública
Pneumopatias Obstrutivas
Testes de Função Respiratória
Volume Expiratório Forçado
Idioma Português
Data de publicação 2006
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2006. 88 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 88 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23357

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta