Diagnostico de obstrucao de vias aereas pela relacao VEF1/VEF6 comparada a relacao VEF1/CVF em um estudo brasileiro de base populacionla - platino

Diagnostico de obstrucao de vias aereas pela relacao VEF1/VEF6 comparada a relacao VEF1/CVF em um estudo brasileiro de base populacionla - platino

Título alternativo Airway obstruction diagnosis by VEF1/VEF6 compared to VEF1/FVC in a Brazilian population based study-platino
Autor Camelier, Fernanda Warken Rosa Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivo: Avaliar o quanto a relacao VEF1/VEF6 e equivalente como um indice de deteccao de obstrucao de vias aereas, comparando com a relacao fixa VEF1/CVF < 0,70 e o limite inferior da normalidade (UN) em uma subamostra randomizada do estudo Platino (dados brasileiros), e testar a reprodutibilidade do VEF6 e da relacao VEF1/VEF6 comparando a CVF e a relacao VEF1/CVF, respectivamente. Material e metodos: Foi realizado um estudo descritivo, de corte transversal e de base populacional, a partir de uma amostra representativa de moradores da regiao metropolitana de São Paulo, de idade igualou superior a 40 anos. As medidas de espirometria foram obtidas com um espirometro portatil (EasyOne TM; Medical Techno/ogies, Chelmsford, Massachusetts and Zurich, Switzerland). O diagnostico de obstrucao de vias aereas foi definido pela relacao VEF1/CVF < 0,70 pos¬broncodilatador (pos-BO) e abaixo do UN, de acordo com as equacoes de referencia do estudo Platino. Curva ROC, sensibilidade, especificidade, valores preditivo positivo e negativo foram analisados para avaliar o desempenho da relacao VEF1/VEF6. Resultados: Apos a inclusao de 1000 sujeitos, foram avaliados dados de 963 e 918 espirometrias pre e pos-BO, respectivamente. A maioria das curvas pos-BO (93,1 por cento) alcancou excelente qualidade com grau A (762 provas) e B (93), segundo classificacao do LHS. Houve alta associacao entre VEF1/VEF6 e VEF1/CVF (~ = O, 92, P < 0,0001). Para a analise de acuracia da relacao VEF1/VEF6 em comparacao a VEF1/CVF, foram realizadas curvas ROC. Para o ponto de corte fixo VEF1/CVC <0,70, a area sob a curva foi 0.98 (p<0,0001) e para o UN foi 0,97 (p<0,0001), nas provas pos-BO. De acordo com a relacao VEF1/CVF, o ponto de corte para a relacao VEF1/VEF6 com a maior soma da sensibilidade e especificidade foi 0,75. Conclusao: A VEF1/VEF6 pode ser considerada uma boa alternativa para substituir a VEF1/CVF no diagnostico de obstrucao de vias aereas, utilizando um ponto de corte fixo ou valores abaixo do limite inferior da normalidade
Assunto Espirometria
Estudos Populacionais em Saúde Pública
Pneumopatias Obstrutivas
Testes de Função Respiratória
Volume Expiratório Forçado
Idioma Português
Data 2006
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2006. 88 p.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 88 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23357

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)