Lipídios da dieta alteram a expressão gênica de adipocinas: estudo in vivo e in vitro

Lipídios da dieta alteram a expressão gênica de adipocinas: estudo in vivo e in vitro

Título alternativo Dietary lipids alter adipokines gene expression:in vivo and in vitro study
Autor Bueno, Allain Amador Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Nascimento, Claudia Maria da Penha Oller do Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Os lipídios da dieta estão correlacionados com a composição do tecido adiposo, etiologia da obesidade e o surgimento de patologias relacionadas à obesidade, como diabetes e estados crônicos de inflamação. Uma importante proteína secretada pelo tecido adiposo é a adiponectina, que possui propriedades antiaterogênicas e antidiabéticas. A diminuição dos níveis plasmáticos de adiponectina tem sido observada em pacientes com resistência a ação da insulina, obesidade, diabetes mellitus do tipo 11 e doenças coronarianas. A haptoglobina é uma proteína de fase aguda secretada pelo fígado e pelo tecido adiposo branco. Em pacientes obesos e diabéticos, os níveis plasmáticos de haptoglobina estão elevados, o que indica que estas condições são estados crônicos de inflamação moderada. O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos de quatro dietas hiperlipídicas diferentes, enriquecidas com 17,5 por cento de óleo de soja, peixe, coco ou banha, sobre a expressão gênica de adiponectina e haptoglobina pelo tecido adiposo retroperitoneal (RET), epididimal (EPI) e subcutâneo (SUB) de camundongos alimentados por dois dias (tratamento agudo) ou oito semanas (tratamento crônico). Células adiposas da linhagem 3T3-L 1 foram tratadas por 48 horas com seis diferentes ácidos graxos: palmítico, linoléico, eicosapentaenóico (EPA), docosahexaenóico (DHA), láurico ou oléico, e analisadas quanto à expressão gênica de adiponectina e haptoglobina. Células adiposas SGBS foram tratadas por 24 horas com os mesmos ácidos graxos, além do ácido araquidônico, e a expressão gênica de seis diferentes adipocinas foi estudada. A expressão gênica de adiponectina foi menor no RET dos animais tratados agudamente com todas as dietas, no EPI de animais tratados cronicamente com dietas soja e coco, e em células 3T3-L 1 tratadas com os ácidos palmítico, linoléico, DHA e EPA. A expressão gênica de haptoglobina foi maior no RET e EPI dos animais tratados crônica e agudamente com banha, no EPI e SUB dos animais tratados cronicamente com dieta enriquecida com óleo de coco, e em células 3T3-L 1 tratadas com ácido palmítico. Em células SGBS, o tratamento com DHA e EPA elevou a expressão de leptina e IL-6. O tratamento com ácido palmítico elevou a expressão de IL-6 e não alterou a de leptina. O tratamento com ácido láurico elevou a expressão de IL-6 e diminuiu a de leptina. Os tipos de lipídios na dieta podem diferentemente modificar a expressão gênica de adiponectina e haptoglobina pelo tecido adiposo, sendo que estas respostas são tecido-específicas e dependentes da duração do tratamento. Estes resultados indicam que a ingestão de determinados ácidos graxos podem contribuir para o desenvolvimento de resistência a ação da insulina, aterosclerose e resposta inflamatória.
Palavra-chave Expressão gênica
Lipídeos
Tecido adiposo
Adipócitos
Idioma Português
Data de publicação 2007
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2007. 136 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 136 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23317

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta