As arritmias ventriculares não são fenômenos reprodutíveis em monitorizações de curto prazo

As arritmias ventriculares não são fenômenos reprodutíveis em monitorizações de curto prazo

Título alternativo Ventricular arrhythmias are not a short-term reproducible phenomenon
Autor Reis, Maria do Carmo Maia Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Luna Filho, Bráulio Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Medicina (Cardiologia) – São Paulo
Resumo Fundamentos: A variabilidade das arritmias ventriculares (AV) entre os diferentes dias da semana nao e detectada pelo exame de Holter. Objetivos: Analisar a dinamica temporal das arritmias ventriculares entre varios dias atraves de coleta fragmentada, com o intuito de se de observar se ha um padrao de ocorrencia que possa caracterizar um comportamento persistente ou efeito de memoria de longo prazo. E, ainda, comparar os varios dias de monitorizacao para se avaliar se ha diferenca na frequencia e padrao de distribuicao das AV em longo periodo de gravacao. Metodo: Foram realizadas gravacoes individuais de 14 horas diarias, das 8-22h, por 07 dias consecutivos, de segunda a domingo. O estudo do comportamento das arritmias ao longo de sete dias forneceu a construcao de dados em forma de graficos e tabelas, das extrassistoles (EVs) isoladas, pareadas e taquicardia ventricular nao sustentada (TVNS) acumuladas por hora, de cada paciente, para cada dia, totalizando 98 horas individuais de gravacao. Para analise das diferencas entre os dias de monitorizacao, as 14h diarias foram comparadas entre si, consecutivamente, ate o setimo dia. Analise estatistica: Os dados foram analisados atraves do Metodo de Hurst (Expoente H), empregado para o estudo de series temporais com o intuito de provar se um fenomeno e aleatorio ou nao. Quando o H > 0,5 e &#8804; 1 implica em um fenomeno nao randomico e demonstra um efeito de memoria de longo prazo. Considerando a variabilidade das arritmias, e, comparando a sua incidencia entre os varios dias da semana, os dados tambem foram submetidos a ANOVA de repeticao. Resultados: Gravacoes de Holter diarias em 34 individuos, idade media 60 ± 9 anos, 58,8% de homens. A analise revelou que o Expoente H foi significativamente > 0,5 em todos os 34 pacientes. ANOVA mostrou diferenca na frequencia e padrao de manifestacao das EV isoladas (n =31, p <0,05), EV pareadas (n= 26, P < 0,05) e TVNS (n=19, p < 0,05). Conclusao: As arritmias cardiacas nao sao um fenomeno aleatorio, mas sim, expressao de persistencia de memoria de longo prazo das celulas cardiacas. A ocorrencia das arritmias ventriculares nao apresentou similaridade entre os dias noperiodo analisado. Detectaram-se, alternativamente, amplas variacoes de frequencia e tipo de arritmias, tornando improvavel que gravacao de Holter de 24 h possa captar esse tipo de fenomeno
Palavra-chave Humanos
Arritmias Cardíacas
Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial
Dinâmica não Linear
Arritmias ventriculares
Humanos
Idioma Português
Data de publicação 2014
Publicado em REIS, Maria do Carmo Maia. As Arritmias Ventriculares Não São Fenômenos Reprodutíveis em Monitorizações de Curto Prazo. 2014. 131 f. Tese (Doutorado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2014.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 131 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23275

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-14510.pdf
Tamanho: 9.921MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta