Catecolaminas plaquetárias e LDL oxidada em indivíduos com apneia obstrutiva do sono

Catecolaminas plaquetárias e LDL oxidada em indivíduos com apneia obstrutiva do sono

Título alternativo Catecholamine platelet and oxidized LDL in individuals with obstructive sleep apnea
Autor Feres, Marcia Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Poyares, Dalva Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Psicobiologia – São Paulo
Resumo Introdução: A Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) e um importante fator de risco para doencas cardiovasculares. Varios mecanismos fisiopatologicos tem sido sugeridos para esclarecer a associacao da AOS com a alta incidencia de morbidade e mortalidade cardiovascular. Entre as doencas cardiovasculares mais prevalentes que aparecem em associacao com a AOS, observa-se a hipertensao (HAS), que abrange 50% de prevalencia no mundo e a aterosclerose, que ocupa um relevante percentual nesse contexto. Um dos mecanismos propostos e o envolvimento do sistema nervoso autonomo, inicialmente durante o sono e gradualmente acometendo o periodo de vigilia, levando a alteracoes da pressao sanguinea. Tais alteracoes envolvem aumento da atividade do sistema nervoso simpatico deflagrado pelos eventos respiratorios associados a elevacao dos niveis de catecolaminas. Esse incremento das catecolaminas, juntamente com a hipoxemia, pode ter atuacao indireta no endotelio favorecendo o mecanismo de inflamacao e geracao de substancias reativas do oxigenio e oxidacao das lipoproteinas LDL-C produzindo a LDL oxidada, facilitando a instalacao da aterosclerose. Alem disso, as catecolaminas estao envolvidas na sindrome metabolica, podendo alterar o perfil lipidico de tais pacientes. Entretanto, as metodologias de avaliacao das catecolaminas ainda sao muito controversas devido a sua rapida flutuacao nos fluidos organicos e a interferencias de varios fatores de confusao. Objetivo: Este estudo objetivou utilizar metodologias de quantificacao de niveis de catecolaminas em plaquetas, plasma e urina de 24 horas, em pacientes com AOS com e sem hipertensao arterial, e avaliar um dos mais relevantes parametros lipidicos envolvidos nos mecanismos de aterosclerose, que e o LDL colesterol direto e LDL oxidada em pacientes com AOS associadas ou nao a hipertensao ou dislipidemias. Por fim, avaliar o impacto do tratamento da AOS com CPAP sobre os niveis de LDL oxidada nos pacientes com AOS severa apos um ano de tratamento. Metodos e Casuistica: Foram desenvolvidos 3 estudos (1, 2 e 3). O Estudo 1 foi dividido em dois experimentos. No Experimento 1 para realizar a padronizacao e validacao do metodo de catecolaminas plaquetarias, foram convidados 30 voluntarios que nao estavam fazendo nenhum tratamento de Saúde ou tomando medicamento e aceitaram em participar do estudo. Obteve-se 10 mL de sangue de cada voluntario para validar a metodologia de catecolaminas plaquetarias com comparacao do metodo de radio imunoensaio (RIE) e cromatografia liquida de alta pressao (HPLC). No Experimento 2, apos a validacao, foram selecionados 154 pacientes do Instituto do Sono de São Paulo, que passaram por orientacao sobre dieta hipocalorica com restricao a xantinas, cafeinas, exercicios fisicos, fumo e alcool previamente a coleta de fluidos. Tais pacientes foram alocados em quatro grupos: Hipertensao com AOS, Hipertensao sem AOS, somente AOS sem hipertensao e Grupo controle. Tambem houve uma analise de um subgrupo randomizado para tratamento com CPAP e Sham-CPAP. Os individuos passaram por avaliacoes clinicas, antropometricas, testes cardiopulmonares, polissonografia (PSG) e exames laboratoriais (perfil lipidico, testes de funcao renal e hepatica, glicemia, hemograma, velocidade de hemossedimentacao). Nos empregamos metodos de RIE para determinacao dos niveis de catecolaminas plasmaticas e urinarias alem do metodo de RIE ultrassensivel para os niveis plaquetarios. No Estudo 2 foram selecionados 99 pacientes do mesmo ambulatorio e foram alocados em 3 grupos GI- AOS com comorbidades (HAS e DIS) , GII u AOS e GIII controle. As dosagens do perfil lipidico e de outros parametros laboratoriais foram realizadas por metodos automatizados em equipamentos validados, e a LDL-colesterol direta determinada por reagente com eliminacao da catalase e para LDL oxidada, metodo de enzimaimuno ensaio (EIA). E para o Estudo 3 foram randomizados 72 pacientes com AOS severa e tratados com CPAP e Sham-CPAP por um ano de tratamento. No final do estudo apenas 45 pacientes chegaram a um ano de tratamento. Parametros antropometricos, perfil lipidico, e LDL oxidada foram avaliados nos periodos basais, 1, 3, 6 e 12 meses pos-tratamento. Calculos Estatisticos: Para o Estudo 1 foram aplicados teste de correlacao de Pearson, curva ROC com Odds-ratio e ANCOVA de uma vias foram empregados para tratamento estatistico dos dados. Como analise complementar foi realizados regressao logistica e indices de coeficiente de correlacao inter e intra-ensaiou dos testes plaquetarios. O teste de validacao que antecedeu o experimento seguiu protocolo de validacao com base nos metodos de J. Westgard. No Estudo 2, foi calculado a regressao linear construido baseados nas variaveis independentes AOS, HAS e DIS. E no Estudo 3 calculou-se a ANOVA de medidas repetidas. Resultados: No Estudo 1, e no Experimento 1, a validacao foi satisfatoria com correlacoes (r= 0,93 e r= 0,92) entre os metodos (RIE e HPLC) para catecolaminas plaquetarias, adrenalina e noradrenalina respectivamente. Desse modo, escolhemos o primeiro pela facilidade de execucao e rapidez. No Experimento 2, os niveis de noradrenalina e adrenalina urinarias foram significativamente associadas a condicao de hipertensao com e sem AOS (p=0,00 e p=0,01) enquanto noradrenalina plaquetaria relacionou-se somente a condicao de AOS sem hipertensao (p=0,03). Os resultados do efeito do tratamento com CPAP sobre as catecolaminas plaquetarias observam-se que o subgrupo tratado apos um ano apresentou reducao significativa de noradrenalina plaquetaria e de excrecao de catecolaminas urinaria (p=0,05 e p=0,04). No Estudo 2, o modelo estatistico de regressao logistica mostrou que somente a presenca de DIS foi associada aos niveis de LDL-colesterol direto (p=0, 001). A presenca de comorbidades (AOS e HAS) nao se associou as taxas de LDL-C direta, entretanto os niveis de LDL oxidada apresentaram expressivos efeitos aditivos para AOS (p=0,01, HAS (p=0,03) e DIS (p=0,03). No Estudo 3, o tratamento com CPAP e Sham-CPAP com relacao a circunferencia abdominal apresentou diferenca estatisticamente significante entre o periodo basal e 1 mes apos CPAP no grupo de CPAP (p=0,02). Com relacao a LDL-C, o grupo CPAP apresentou diferencas estatisticamente significante entre os periodos basais, 1, 3 e 12 meses, (p=0,04, p=0,04 e p=0,03) respectivamente. Com relacao as LDL oxidadas nao apresentaram diferencas estatisticamente significantes entre os periodos basais, 6 meses e 12 meses, nos grupos CPAP e Sham-CPAP (p=0, 011 e p=0,09). Conclusoes: O Estudo 1 demonstrou que o metodo de catecolaminas plaquetarias foi sensivel para monitorar a AOS, indicando alteracao da atividade simpatica mesmo em pacientes sem hipertensao. O tratamento com o CPAP foi capaz de reduzir os niveis de catecolaminas plaquetarias e urinaria. No Estudo 2, a AOS pode ocasionar elevacao das LDL oxidadas, independentemente das comorbidades associadas a AOS (HAS e DIS). No entanto, o tratamento efetivo da AOS (Estudo 3) nao foi capaz de alterar os niveis de LDL-oxidada
Palavra-chave Humanos
Apneia do Sono Tipo Obstrutiva
Catecolaminas
LDL-Colesterol
Humanos
Idioma Português
Financiador Associação Fundo de Incentivo à Psicofarmacologia (AFIP)
Data de publicação 2014
Publicado em FERES, Marcia Cristina. Catecolaminas palquetárias e LDL oxidada em indivíduos com apneia obstrutiva do sono. 2014. 183 f. Tese (Doutorado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2014.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 183 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23272

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Tese-14507.pdf
Tamanho: 3.874MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta