Indução de ligações covalentes de colágeno na córnea (cross-linking) em queimadura ocular experimental em coelhos.

Indução de ligações covalentes de colágeno na córnea (cross-linking) em queimadura ocular experimental em coelhos.

Título alternativo The induction of corneal collagen cross-linking on experimental eye burn in rabbits
Autor Barboza, Marcello Novoa Colombo Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Sato, Elcio Hideo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Oftalmologia e ciências visuais - São Paulo
Resumo Objetivo: Avaliar o efeito da inducao de ligacoes covalentes de colageno na cornea (cross-linking) apos queimadura ocular grave experimental em coelhos. Metodos: Dez coelhos tiveram a cornea direita queimada com NaOH 1N e foram divididos em dois grupos. O grupo controle foi tratado com terapia clinica e o grupo caso foi tratado com terapia clinica associado a riboflavina ativada por radiacao ultravioleta uma hora apos a queimadura. Os parametros clinicos foram avaliados em 1, 7, 15 e 30 dias por dois observadores mascarados e de forma independente. Todos os animais foram sacrificados apos 30 dias, quando foi, entao, analisado qualitativamente o tecido estromal das corneas . Resultados: Observou-se otima concordancia pelo teste de kappa (0,32 a 1,00) entre os dois obsevadores clinicos. Os parametros clinicos como edema, hiperemia da cornea, injecao ciliar, isquemia limbar, secrecao, neovascularizacao, blefarospasmo e simblefaro nao mostraram diferenca estatistica em todos os tempos. No entanto, observou-se diferenca estatistica (p <0,05) no tamanho medio dos defeitos epiteliais (dia 15 u p = 0,008 e dia 30 u p = 0,008) e no tamanho medio da lesao da cornea (dia 30 u p = 0,021). No exame histopatologico, observou-se pontes de colageno interligando os fibroblastos no estroma posterior das corneas apos trinta dias da aplicacao de cross-linking, alem de um padrao bem organizado e paralelo em relacao a cicatrizacao das fibras estromais nesse mesmo grupo, tanto na coloracao de Hematoxilina e Eosina quanto na coloracao de Tricromio de Masson. Em relacao as corneas queimadas sem aplicacao de cross-linking, observou-se um padrao desorganizado de reparacao dos fibroblastos, com ausencia de pontes interfibrilares de colageno, tanto na coloracao de Hematoxilina e Eosina como na coloracao de Tricromo de Masson. Conclusao: Os resultados finais sugerem que o uso de riboflavina ativada pela radiacao ultravioleta em corneas uma hora apos queimadura ocular aguda por alcali pode melhorar o prognostico, quando comparado apenas com tratamento clinico
Palavra-chave Animais
Queimaduras Oculares
Álcalis
Riboflavina
Reagentes para Ligações Cruzadas
Raios Ultravioleta
Coelhos
Animais
Idioma Português
Data de publicação 2013
Publicado em São Paulo: [s.n.], 2013. 106 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 106 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/23271

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta